Liga dos Campeões: A sorte procura-se

Por Pedro Machado Dezembro 12, 2016, em Liga dos Campeões

Liga dos Campeões: A sorte procura-se

Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Sorte, nuns oitavos de final da Liga dos Campeões, é uma palavra muito relativa. Entre os adversários de SL Benfica e FC Porto, havia aqueles que recolhiam unanimidade de preferência entre os adeptos como o Leicester (no caso exclusivo dos encarnados) ou o Mónaco, mas ninguém consegue um primeiro lugar numa fase de grupos de Champions por acaso e ambas as equipas em questão deram provas do seu valor no passado fim-de-semana – os franceses, o orientados por Leonardo Jardim, foram a Bordéus, campo sempre difícil, vencer por 4-0 e os ingleses derrotaram, em casa, o Manchester City de Guardiola, por claros 4-2 (aos 20 minutos o resultado era 3-0).

Sabia-se, portanto, de antemão que, independentemente das equipas que calhassem em “sorte” às cores lusas, a tarefa seria sempre complicada, até porque a segunda mão da eliminatória iria sempre ser disputada em terreno alheio. A probabilidade de calhar o adversário preferido para qualquer adepto era de 1 em 7 (excluindo-se, portanto, os líderes dos respectivos grupos), a dificuldade de o superar era de um 1 em… 1.

Quando o Dortmund calhou ao SL Benfica e a Juventus ao FC Porto (ter-se-á lembrado a final da Liga dos Campões de 1997, disputada entre germânicos e transalpinos, vencida pelos primeiros com Paulo Sousa no onze), ninguém terá esperado facilidades. Mas a hora não era de lamentos. Os alemães já tinham enfrentado o Sporting CP na fase de grupos, e os leões bateram-se bem, os italianos tinham aparecido no caminho do SL Benfica há dois anos atrás (com Pirlo, Tevéz e Pogba incluídos, embora sem Dybala ou Higuaín) e tinham sido derrotados.

Para além disto, existe a plena noção de que o mercado de Janeiro se vai meter no meio e que até à data dos jogos muita coisa pode mudar na forma e nas lesões das respectivas equipas. Para já, porém, convém analisar a realidade presente de ambos os conjuntos.

Anterior1 de 3Próximo
pedro-machado

Pedro Machado

Enquanto a França se sagrava campeã do mundo de futebol em casa, o pequeno Pedro já devorava as letras dos jornais desportivos nacionais, começando a nascer dentro dele duas paixões - o futebol e a escrita - que ainda não cessaram de crescer.                                                                                                                                                 O Pedro não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Pedro Machado Dezembro 12, 2016, em Liga dos Campeões

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

27/06/2017

Francisco Sampaio

Redator

Petra Kvitova

Cerca de seis meses após ter sido esfaqueada na sua mão esquerda (dominante) e após ter sido dada como “acabada” para o ténis, Petra Kvitova conquistou o Aegon Classic Birmingham.

Polémica dos E-mails

Os assuntos judiciais devem ser tratados nos meios próprios sendo essencial, para o bem do futebol português, dar ênfase aos verdadeiros protagonistas do jogo.