Neymar no PSG: O início de uma nova jornada

Por César Mayrinck Agosto 9, 2017, em Liga Francesa

Neymar no PSG: O início de uma nova jornada

Cabeçalho Liga Francesa

O assunto da transferência do atacante Neymar para o PSG já foi tema aqui no Bola na Rede. No referido artigo, o amigo Pedro Machado destacou todos os valores astronômicos que envolvem a transferência do jogador e de como essa quantia poderia ser revertida de maneira mais consciente na sociedade. Vamos continuar tratando da transferência mais cara da história do futebol mundial, mas abordando outros aspectos.

O grande problema da transferência do Neymar do Barcelona para o PSG não foram apenas os valores, mas também a maneira como o atleta saiu do Barcelona. Na verdade, as duas transferências da carreira do jogador – do Santos para o Barcelona e do Barcelona para o PSG – foram conturbadas. Até hoje não se sabe o valor exato da transferência do jogador do Santos para o Barcelona e a transferência do atacante do Barcelona para o PSG foi bem complicada.

O zagueiro Leonardo Bonucci deu um exemplo de como sair de uma equipe e ir para outra. Bonucci conversou de maneira aberta com as duas equipes envolvidas na negociação, Juventus e Milan, e quando concretizado a transferência fez uma carta de despedida destinada aos torcedores da Juve. Bonucci era um dos ícones da equipe de Turim e deixar a Juventus para atuar por um rival não é algo fácil para os torcedores aceitarem. Mas algumas atitudes fizeram a negociação ser mais “suave” para o jogador.

Agora vamos abordar as expectativas em cima do jogador no PSG. É inegável que no Barcelona o Neymar teria mais dificuldade em se destacar como a maior estrela da Liga e jogar na Espanha o desgastaria mais do que jogar na França. A pressão que o Barcelona tem em não perder pontos no Campeonato Espanhol faz com que os jogadores principais joguem até três jogos em sete dias. Evidentemente que isso desgasta qualquer atleta e um jogador mais desgastado fisicamente tende a não render tanto como poderia render se estivesse descansado. Além de aumentar a possibilidade de o jogador obter alguma lesão muscular.

Na França só existe uma equipe nessa temporada, o PSG. Por mais que o Mônaco seja o atual campeão francês, não vejo a menor possibilidade do PSG perder o título nacional. Como consequência dessa possibilidade de vencer facilmente a Ligue 1, o atacante poderá ser poupado em várias rodadas. Principalmente será poupado nas rodadas que antecedem aos jogos da Champions League.

Por falar na UCL, a maior competição de clubes da Europa será o grande desafio do Neymar no PSG. A pressão sobre ele será enorme. O time francês nunca venceu a competição e cai a ele a grande responsabilidade de levar a “orelhuda” para o “Parc des Princes”. Essa pressão é absolutamente justa, afinal o jogador é o atleta mais valioso na atualidade e deve entender que não é apenas “mais um jogador” na equipe, ele é “O jogador”.

Neymar tem a pretensão de ser o maior astro de uma grande equipe europeia. No PSG ele será.  No Barcelona dificilmente seria a estrela principal devido a relevância do argentino Leonel Messi na equipe catalã. Conquistar o prêmio de melhor jogador do mundo também é uma ambição do atleta. Porém, no PSG essa conquista só será possível se levar o time de Paris a conquista da UCL – sendo o protagonista – e/ou se vencer a Copa do Mundo de 2018 com a Seleção Brasileira. Pelo desequilíbrio no nível técnico no Campeonato Francês ser o protagonista na Ligue 1 não será determinante para a conquista da Bola de Ouro. Temos como exemplo o atacante sueco Zlatan Ibrahimovic. O sueco foi a grande estrela do PSG durante anos, venceu tudo na França, mas não era nem cogitado para ser o melhor jogador do mundo.

O trio MSN se desfez e agora o atacante brasileiro tentará continuar conquistando títulos no PSG Fonte: PSG

O trio MSN se desfez e agora o atacante brasileiro tentará continuar conquistando títulos no PSG
Fonte: PSG

Para a Seleção Brasileira essa transferência pode ser boa. Afinal, o Brasil teria o seu melhor jogador muito mais preparado fisicamente – pelos motivos mencionados – para a Copa do Mundo, do que teria se o atacante continuasse no Barcelona.

A decisão de ter deixado o Barcelona para jogar no PSG é particular do Neymar. Se ele considerou que foi o melhor então que siga na sua trajetória. As questões dos valores ele não tem reponsabilidade. O contrato dele com o Barça tinha uma cláusula de rescisão e essa foi paga. Se os valores foram absurdos – e realmente foram – é problema do clube que quis pagar e também da UEFA com o seu “Fair Play Financeiro” que foi colocado em “cheque”. Além disso o jogador venceu tudo que poderia vencer no clube. Claro que poderia continuar para escrever seu nome como uma das lendas do Barcelona, mas devemos respeitar se essa não era a intenção do jogador. Mesmo se o principal motivo da saída do atleta tiver sido a questão financeira. A torcida do povo brasileiro é para que a sua maior estrela se destaque e renda bem nessa última temporada antes da Copa do Mundo. Neymar é um craque e agora sem estar a “sombra” do Messi poderá mostrar ao mundo o tão grande que és.

Foto de Capa: Reuters

César Mayrinck
Enquanto criança queria ser jogador de futebol e para o bem dos torcedores do Atlético Mineiro não foi aprovado no teste. Encontrou nas palavras a melhor maneira de se expressar sobre a sua paixão, o futebol. Amante do futebol brasileiro e do futebol alternativo, acorda facilmente às três horas da madrugada para ver um jogo do campeonato neozelandês.                                                                                                                                                 O César escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por César Mayrinck Agosto 9, 2017, em Liga Francesa

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

13/08/2017

Nélson Mota

Redator

Real Madrid CF

Os merengues deixam bem encaminhado o jogo para a segunda mão da Supertaça Espanhola. A equipa de Zidane parece vir a superiorizar-se ao Barcelona quebrando a sua hegemonia em Espanha e na Europa.

Cristiano Ronaldo

El Clássico não é El Clássico se não houver polémica. Desta vez CR7 esteve no centro de toda a polémica. Foi expulso e, de cabeça perdida, deu um empurrão ao árbitro e sofreu um castigo de 5 jogos.