Manchester City 5-0 Liverpool FC: Vitória de mão cheia do City perante um Liverpool reduzido a dez

Por Luís Costa Setembro 9, 2017, em Liga Inglesa

Manchester City 5-0 Liverpool FC: Vitória de mão cheia do City perante um Liverpool reduzido a dez

Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Liga Inglesa

O Manchester City vinha de uma vitória sobre o AFC Bournemouth por 2-1; já o Liverpool vinha de uma vitória mais confortável: ganhou por 4-0 ao Arsenal. Estando ambos empatados com sete pontos, ainda na 3.ª jornada, quem ganhasse à 4.ª jornada passaria à frente.

O 11 inicial do City era composto por Ederson, Walker, Stones, Otamendi, Mendy, Danilo, Fernandinho, De Bruyne, Silva, Aguero, e Jesus, ficando no banco Bravo, Foden, Mangala, Sane, Gundogan, Delph, e Bernardo.

O 11 inicial do Liverpool era composto por Mignolet, Alexander-Arnold, Matip, Klavan, Moreno, Henderson, Can, Wijnaldum, Salah, Mané, e Firmino, ficando no banco Karius, Lovren, Gomez, Milner, Oxlade-Chamberlain, Solanke, e Sturridge.

Klopp ainda não tinha perdido contra o City desde que chegou ao clube.

A dúvida para este jogo era se Philippe Coutinho iria jogar, mas Klopp preferiu poupar qualquer polémica, por ter sido a transferência falhada e por ter estado a jogar pela selecção do Brasil.

Começando a partida, a primeira oportunidade foi por parte do Liverpool, num canto, embora Stones estivesse atento. A primeira falta foi aos dois minutos de jogo, por uma entrada mais agressiva de Mané, que resultou num desvio de cabeça, por parte de Jesus, sem grande perigo.

Otamendi, após uma falha de defesa, ainda varreu o adversário, para se tentar redimir, e levou o primeiro cartão amarelo do jogo, deixando um livre perigoso para o Liverpool, onde Arnold marcou contra a barreira.

O primeiro canto para o City foi apenas aos sete minutos de jogo e não teve qualquer perigo. O City, a partir dos oito minutos, começou a pressionar mais o Liverpool, deixando-o mais atrás da linha de meio-campo. Aos 12 minutos há a primeira oportunidade flagrante de golo por Fernandinho, onde Mignolet teve de estar mais atento, defendendo para canto. Klopp ia pedindo calma aos jogadores, esperando que deixassem de errar tanto nesta fase do jogo. Firmino teve uma oportunidade aos 14 minutos, embora não tenha causado grande dificuldade ao guarda-redes adversário, Ederson.

Aos 18 minutos Arnold levou cartão amarelo por puxar a camisola a De Bruyne, seguindo o mesmo critério do cartão a Otamendi, embora o livre tenha acabado por ir contra a barreira e sem qualquer perigo.

Aos 21 minutos Salah dá uma bela arrancada e faz quase tudo bem até ao momento de decisão final, decidindo chutar, mas sem perigo, para Ederson.

Aos 24 minutos houve uma grande jogada por parte do City, com um excelente passe por parte De Bruyne a desmarcar Aguero. Este tirou o guarda-redes da frente e marcou, sendo o sexto golo e o primeiro do jogo, tornando-se ainda o jogador não europeu com mais golos na Premier League.

Aos 27 minutos Mané arrancou pelo meio do campo e apenas foi parado por Fernandinho, tendo levado cartão amarelo, e por pouco não foi penálti. E Can marcou o livre mas foi ao lado, não tendo feito o arco pretendido à bola.

Aos 30 minutos Ederson fez uma excelente defesa, quando Mané desmarcou Salah, e após belo remate lá esteve a mão direita do guarda-redes para retirar o golo.

O Liverpool aos 33 minutos de jogo continua a revelar erros infantis por parte da defesa; agora Klavan a dar uma oportunidade ao City, por tentar fintar na defesa, resultando num canto onde Mignolet esteve bastante atento, defendendo com o pé. O Liverpool enfrentou dificuldades em construir o jogo, também fruto de o City estar numa pressão muito alta.

Mané leva cartão vermelho directo aos 34 minutos, devido ao facto de o árbitro considerar que quis acertar propositadamente em Ederson num lance entre os dois. Acabou por ser justo, mesmo que Mané não tivesse essa intenção e apenas a de jogar a bola, porque Ederson deu o corpo à bola e levou com os pitons de Mané na cara, deixando o Liverpool assim desfalcado. E Ederson fica muito mal tratado com o lance. Klopp ia continuando a achar que era uma jogada de futebol normal, que não haveria como evitar; no entanto, o árbitro foi dialogar com ele, e acabam num discurso amigável e de entendimento de ambos. E Bravo teve de entrar mesmo para o lugar do Ederson, sendo uma substituição forçada, mas com aquela entrada não havia outra forma mesmo. Ficou mesmo mal tratado, tendo sido assistido por diversos minutos, inclusive com garrafas de oxigénio. Aos 44 minutos sai então Ederson de maca, sendo aplaudido por todo o público; esperemos que fique melhor o quanto antes.

Mané ficou inconsolável após a expulsão Fonte: Mundo Deportivo

Mané ficou inconsolável após a expulsão
Fonte: Mundo Deportivo

Foram dados 8 minutos de compensação na primeira parte, devido a este incidente.

Aos 45+2′ o golo de Jesus foi invalidado, por estar em fora-de-jogo, bem visto por parte do fiscal de linha.

Aos 45+6′ o golo de Jesus foi mesmo golo: excelente cabeçada e excelente centro por De Bruyne, sem qualquer hipótese de defesa para Mignolet.

Aceitava-se com naturalidade esta vantagem na primeira parte, para o City.

Começou a segunda parte, entrando Oxlade-Chamberlain e fazendo a sua estreia pelo Liverpool, saindo Salah.

Aos 50 minutos há o primeiro pontapé-de-canto da segunda-parte, com um grande corte de Stones, embora não tenha resultado em qualquer perigo para a equipa do City.

E aos 52 minutos o auxiliar considera que Aguero estaria em fora-de-jogo no golo que marcou.

Mas, aos 53 minutos, grande passe de Fernandinho para Aguero, que brinda o seu colega Jesus, para este marcar o 3.º golo do City. Parecia tudo simples e fácil nesta altura para o City e muito difícil para o Liverpool.

Mendy aos 55 minutos teve um bom envolvimento entre Silva e De Bruyne, até ao momento final, onde Mignolet esteve atento.

Aos 56 minutos entrou Sane e saiu Jesus, autor de dois golos e com um belo jogo.

O Liverpool estava muito aflito, continuava com diversos erros defensivos, e aos 57 minutos entrou Milner, sendo muito assobiado pelos adeptos do City, saindo Wijnaldum, que fez um jogo desinspirado.

Aos 60 minutos, o Liverpool já era incapaz de pressionar e de construir algum fio de jogo; apenas despachava a bola e com passes sem qualquer nexo. Foi uma partida completamente infeliz, com mérito também do City.

Aos 66 minutos entrou o Solanke e saiu Firmino, considerando-se poupar o jogador para as próximas partidas, visto o facto de este jogo já estar perdido.

Pouco tempo depois, aos 70 minutos, entrou Mangala para o lugar de Otamendi.

Aos 73 minutos houve outra grande arrancada de Mendy, que vai ganhando confiança, mas acabou interceptada por um belo corte de Arnold.

E aos 77 minutos mais um belo golo do City. Grande entendimento entre Sane e Mendy, numa troca de passes que acaba em golo por Sane, e foi assim o 4º. golo do City, sem qualquer hipótese para Mignolet, apesar de ter sido no poste mais próximo de si.

Gabriel Jesus bisou na partida Fonte: Eurosport

Gabriel Jesus bisou na partida
Fonte: Eurosport

Aos 79 minutos, Can tem uma entrada fora de tempo em Aguero e leva a cartolina amarela.

Aos 83 minutos Chamberlain tem uma jogada individual, mas não ganha mais que um lançamento que acaba aos pés do City.

Aos 85 minutos Cláudio Bravo decidiu sair dos postes, e bem, evitando males maiores numa jogada de chuto para a frente e fé em algum golo fortuito, por parte do Liverpool de Klopp.

Excelente defesa de Mignolet aos 86 minutos, a evitar o 5.º golo do City por parte de Aguero, que remata em esforço.

Ainda houve tempo para Sane fazer um golaço aos 90 minutos, bem fora da área, do meio da rua e em arco, perto de onde a coruja faz o seu ninho. O City já não goleava assim ao Liverpool desde a época de 1935-36, com 6-0.

Aos 92 minutos foi possível ver Ederson, e ainda bem: parecia já estável. Boas notícias para o jogador e para Pepe Guardiola.

Excelente ensaio do City, que a partir dos dez minutos de jogo controlou a partida, para o jogo que se avizinha da Liga dos Campeões. Fica em primeiro à condição, com dez pontos, na 4.ª jornada da Premier League.

Já o Liverpool terá de fazer melhor, especialmente defensivamente.

Foto de Capa: Standard.co.uk

Anterior1 de 3Próximo
Luís Costa
Adepto de futebol (em especial do Sporting Clube de Portugal), licenciado em Gestão de Recursos Humanos, pretende trazer as novidades do futebol internacional aos teus monitores.                                                                                                                                                 O Luís escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Luís Costa Setembro 9, 2017, em Liga Inglesa

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

13/11/2017

Jorge Faria de Sousa

Redator

Eric Dier

O defesa inglês é hoje uma das estrelas do futebol britânico e estreou-se enquanto capitão da seleção inglesa no passado fim de semana.

Presidente Câmara Oliveira do Hospital

Criticou a FPF, alegando que o distrito de Coimbra foi esquecido nestes jogos particulares. Espera-se que no futuro próximo, a FPF possa levar o futebol solidário ao distrito de Coimbra.