Andorra 0-2 Portugal: Capitão chamado a resolver

Por Pedro Paupério Outubro 10, 2017, em Seleção Nacional

Andorra 0-2 Portugal: Capitão chamado a resolver

A Seleção Nacional venceu a seleção de Andorra na penúltima jornada do grupo B de qualificação para o Mundial 2018.

Num jogo classificado por Fernando Santos como uma “meia-final”, Portugal visitou a seleção da Andorra com o objetivo de vencer e continuar a depender apenas de si para alcançar o primeiro lugar do grupo B.

Após sete vitórias consecutivas, numa qualificação apenas manchada pela derrota frente à Suíça, Portugal entrou em campo com várias poupanças. Relativamente ao jogo com a Hungria, Fernando Santos promoveu cinco alterações, sendo a ausência de Cristiano Ronaldo a mais assinalável. Em risco de suspensão caso visse o cartão amarelo, o capitão da Seleção Nacional ficou no banco de suplentes.

O jogo começou de forma pouco entusiasmante. Com a seleção andorrana com as linhas muito baixas, Portugal ia gerindo a posse de bola sem conseguir, contudo, criar perigo junto da baliza adversária. Os jogadores portugueses sentiam ainda dificuldades de adaptação à relva sintética do Estádio Nacional de Andorra.

Com os centrais portugueses a aparecerem frequentemente no meio campo adversário, perto de Danilo Pereira, João Mário e Bernardo Silva jogavam bastante adiantados. Os extremos portugueses, Quaresma e Gelson Martins, sempre muito abertos, conferiam largura à equipa das quinas, bem como os laterais, sempre projetados no ataque, mas faltava uma melhor definição dos lances para contrariar a defesa de Andorra.

Só aos 24 minutos Portugal criou a primeira ocasião de golo: Nélson Semedo a cruzar largo na direita, um mau alívio do central da seleção de Andorra e a bola a sobrar para o cabeceamento de Quaresma, a sair ligeiramente ao lado.

À passagem da meia hora de jogo, numa altura em que Portugal tinha 78% de posse de bola, Quaresma criou novo lance de perigo, num lance individual no corredor esquerdo que culminou com um remate de fora de área do extremo português, defendido pelo guarda-redes Josep Gomes.

Portugal ia crescendo no jogo e ficou novamente perto do golo por duas vezes. Primeiro Bernardo Silva permitiu que o guarda-redes andorrano se antecipasse após uma falha da defesa contrária, e depois André Silva, novamente num falhanço da defensiva da seleção de Andorra, a rematar por cima quando tinha apenas Josep Gomes pela frente.

A cinco minutos do intervalo, na sequência de um livre em zona lateral, Pepe a conseguir ganhar uma bola junto ao corredor esquerdo do ataque de Portugal e, num movimento pouco característico, a rematar forte, de meia-distância, para mais uma boa defesa do guarda-redes da seleção de Andorra. Apesar do ascendente da equipa portuguesa no último quarto de hora a primeira parte terminava sem qualquer golo.

Face ao resultado negativo ao intervalo, Fernando Santos não quis arriscar mais e fez entrar Cristiano Ronaldo para a segunda parte. O Bola de Ouro juntou-se a André Silva na frente de ataque, deslocando-se Bernardo Silva para o corredor direito, passando Portugal a atuar em 4-4-2.

A entrada de Ronaldo trouxe mais liberdade aos restantes elementos do ataque de Portugal (o capitão foi mesmo alvo de uma marcação individual de Marc Rebes), com jogadores como Quaresma e Bernardo Silva a surgirem mais vezes soltos sem conseguirem, contudo, criar perigo.

Numa fase em que já se começava a sentir o nervosismo dos jogadores portugueses, surge finalmente o golo. João Mário vai apoiar no corredor esquerdo, recebe um passe de Eliseu e cruza para o interior da área onde, após um corte defeituoso do capitão de Andorra, a bola sobra para Ronaldo, que remata de pé esquerdo para o fundo da baliza de Josep Gomes.

O golo trouxe tranquilidade a Portugal, que continuou a gerir a posse de bola, mas agora sem a urgência de marcar. A perder, a seleção de Andorra viu-se obrigada a subir as linhas e os jogadores portugueses tiveram mais espaço para jogar.

No seguimento de uma recuperação de bola de Danilo, jogada confusa na área de Andorra, com André Silva, primeiro, e Cristiano Ronaldo, depois, a tocarem a bola de calcanhar para Bernardo Silva rematar em posição frontal, mas a bola a ressaltar num defesa de Andorra e a sair ligeiramente ao lado da baliza.

A pouco mais de 10 minutos do fim, com Portugal a vencer, Fernando Santos procurou trancar o meio campo da equipa portuguesa e fez entrar William Carvalho. Quaresma foi o sacrificado e João Mário passou a atuar no corredor esquerdo, juntando-se o médio do Sporting a Danilo no miolo.

Portugal ia ameaçando o segundo, e já depois de um péssimo remate de André Silva dentro da grande área, Ronaldo ficou muito perto de bisar, com um remate de fora de área depois de uma recuperação de bola do capitão português.

Aos 86 minutos o golo da tranquilidade acabou mesmo por surgir. Jogada de Cristiano Ronaldo no corredor esquerdo, cruzamento ao segundo poste para Danilo e o médio do FC Porto a tocar para o ex-colega, André Silva, encostar.

Até ao final, destaque ainda para a entrada de Gonçalo Guedes, voltando a jogar pela seleção nacional quase um ano depois.

Portugal decide agora o apuramento direto para o Mundial frente à Suíça na próxima terça-feira.

Foto de Capa: FPF

artigo revisto por:Ana Ferreira

Pedro Paupério
O Pedro é estudante de Ciências da Comunicação. Sendo um amante de desporto, é no futebol que encontra a sua maior paixão. A análise do que se passa em campo é a sua prioridade e não consegue ver um jogo sem tentar perceber tudo o que vai na cabeça dos treinadores. Idealiza uma cultura futebolística onde a tática e a técnica são muito mais discutidas do que a arbitragem.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Pedro Paupério Outubro 10, 2017, em Seleção Nacional

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

23/10/2017

Eduardo Nunes

Redator

Miguel Oliveira

É impossível não destacar o feito do piloto da KTM, que se estreou a vencer neste fim-de-semana em Moto 2, no GP Austrália.

Manchester United FC

O clube orientado por José Mourinho fez um jogo terrível no terreno do Huddersfield e acabou derrotado por 2-1, num jogo onde os red devils mereceram claramente a derrota.