Portugal 1-0 Holanda: Portugal pragmático (e feliz) na final!

Por Eduardo Nunes Julho 12, 2017, em Seleção Nacional

Portugal 1-0 Holanda: Portugal pragmático (e feliz) na final!

Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Seleção Nacional

Foi um jogo de nervos este que opôs a seleção portuguesa, que apenas contou com um golo no decorrer dos 90 minutos, à sua congénere holandesa. Portugal pareceu ter sempre o controlo das operações, excetuando nos últimos minutos, onde a laranja mecânica tentou o tudo por tudo para conseguir pelo menos o empate e consequentemente levar o jogo a prolongamento.

Mas, bem, falando um pouco daquilo que foi o jogo, este começou de forma intensa e disputada, conforme se pôde ver pelas estatísticas ao intervalo, e foi nesta mesma metade que se decidiu o marcador: à passagem do minuto 27, Gedson Fernandes abre o marcador, num lance onde o guarda-redes holandês não fica isento de culpas.

Nos primeiros minutos, foi a Holanda a entrar mais forte, só que nós conseguimos equilibrar o jogo passados poucos minutos, daí eu dizer que foi uma metade inaugural muito equilibrada (só desequilibrada pelo golo referido em cima).

 

Gedson Fernandes foi o autor do golo que coloca Portugal na final Fonte: Seleções de Portugal

Gedson Fernandes foi o autor do golo que coloca Portugal na final
Fonte: Seleções de Portugal

Na segunda parte, Portugal tentou controlar o jogo e apostar nos contra-ataques, pois o resultado era favorável e quem tinha de ir atrás do resultado era a formação holandesa. Foi com esta tática que conseguimos criar ainda mais perigo junto da baliza defendida por Bijlow, mas sempre com o guardião a opor-se muito bem aos nossos remates.

Posso estar a ser injusto, mas não me recordo de uma ocasião clara de golo dos nossos rivais na segunda metade; o jogo foi muito bem controlado e preparado pelo técnico Hélio Sousa, que conseguiu ainda anular por completo a figura da seleção holandesa, o jogador contratualmente ligado ao Manchester City, Rodney Kongolo.

Foi, portanto, uma vitória sofrida mas que me pareceu inteiramente justa por aquilo que se passou ao longo dos 90 minutos. O nosso golo foi feliz, é certo, mas creio que fomos a melhor equipa no somatório global do tempo de jogo.

Com esta vitória, seguimos para a grande final, que se disputa no sábado e onde temos de esperar um pouco para saber se jogamos com a Inglaterra ou com a República Checa, que começam a jogar às 17 horas.

Foto de Capa: Seleções de Portugal

Anterior1 de 3Próximo
eduardo nunes
Estuda economia em Coimbra, mas não deixa de prestar especial atenção ao que se passa no universo do desporto. O desporto preferido é Ténis, mas não perde uma oportunidade de acompanhar a Académica e o Benfica nas mais variadas modalidades.                                                                                                                                                 O Eduardo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Eduardo Nunes Julho 12, 2017, em Seleção Nacional

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

18/07/2017

Pedro Machado

Editor

Roger Federer

Aos 35 anos (!) tornou-se no tenista com mais títulos em Wimbledon (8) depois de impor a classe que lhe é reconhecida sobre um Marin Cilic impotente para o travar.

Defesa do SL Benfica

Ainda é cedo para se decretar desastres, mas a goleada do Young Boys (5-1) aos encarnados mostrou quão vulnerável está a sua defesa. Corredor central e lateral direita precisam de uma força extra