Real SC 0-3 SL Benfica: E tudo Guedes mudou

Por Redação BnR Dezembro 15, 2016, em SL Benfica

Real SC 0-3 SL Benfica: E tudo Guedes mudou

Anterior1 de 4Próximo

sl benfica cabeçalho 1A festa da Taça chegava ao Restelo, casa emprestada do Real para a eliminatória das suas vidas frente ao Benfica. No conjunto encarnado, destaque para a titularidade de Zivkovic, o regresso de Jardel de lesão e a estreia de Yuri Ribeiro a titular.

Os primeiros dez minutos de jogo foram calmos, com o Benfica com mais posse de bola, como já se esperava. Os encarnados ameaçaram logo a baliza contrária aos nove minutos, pelo pé de Carrillo. André Almeida cruzou rasteiro para o centro da área, mas a bola apenas raspou nos pés do peruano e seguiu para a linha lateral.

Após um canto de Zivkovic, Jardel não chegou à bola, que parou nas mãos do guarda-redes Patrick. Porém, dois minutos depois, aos 12 minutos, Zivkovic recuperou a bola junto à entrada da área e fez um remate muito colocado mas que saiu pouco ao lado. Enquanto a chuva caía, o Real SC continuava a tentar manter o resultado nulo, quebrando todas as investidas da formação benfiquista.

E foi aos 27 minutos que o Massamá se fez mostrar, com um lance de muito perigo. Palácios recebe uma bola longa na esquerda ofensiva e tenta desviar para o poste mais longínquo. Valeu o corte de Lisandro Lopéz. O lance animou o público adormecido, que começou a cantar pelo nome da equipa visitada.

Nova oportunidade para o lado encarnado, novamente desperdiçada. Mitroglou recebeu a bola num lance rápido, mas demorou-se com a bola nos pés, e a defensiva do Real organizou-se, limitando os espaços para a baliza. O grego soltou para Cervi, que em esforço rematou contra a muralha defensiva.

Não tardou a haver outra oportunidade, outra vez pelo grego. Na sequência de um livre estudado batido por Zivkovic, Jardel centrou de cabeça para Mitroglou, que não alcançou. Patrick defendeu de forma desajeitada e valeu o corte rápido a impedir que houvesse mais perigo para a própria baliza.

O intervalo chegou ao Restelo sem golos, deixando a inauguração do marcador para mais tarde nesta noite fria na capital portuguesa. Zivkovic fez-se mostrar nesta primeira parte. Esteve em todo o lado e fez questão de se mostrar disponível para Rui Vitória.

O técnico benfiquista percebeu que tinha de mudar as peças e tirou Carrillo para entrar Guedes. Não podia ter corrido melhor. Guedes mexeu com a equipa e o Benfica agradeceu. A abrir a segunda parte o Benfica marcou e a estratégia do Real ruiu. O Benfica sentiu-se à vontade e carregou para cima do Real, dispondo de várias oportunidades. O Real apenas de livre conseguiu assustar. Com um penálti a meio da segunda parte, que Mitroglou marcou, as esperanças do Real morreram e o conjunto visitado parecia ter entregue o jogo. Foi com naturalidade que o Benfica chegou ao terceiro golo, numa fantástica jogada de Raul. A vitória sorriu para o Benfica; uma vitória natural, mas para a qual foi preciso mudar algumas peças. Mérito para o Real, que tinha a lição bem estudada e aguentou 45 minutos. A equipa de Massamá provou ter qualidade e mostrou porque está a fazer o campeonato que está a fazer.

Anterior1 de 4Próximo
Logo Bola na Rede
O Bola na Rede é um site de opinião desportiva, cuja plataforma de distribuição de conteúdo é o online. Foi fundado a 28 de outubro de 2010.

Comentários

Por Redação BnR Dezembro 15, 2016, em SL Benfica

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

11/12/2017

Diogo Mota

Redator

Paulo Fonseca

Fantástico, a todos os níveis. Ser apurado num grupo que contava com Man. City e Nápoles, ser a única equipa a derrotar a equipa de Guardiola e juntar a tudo isto um futebol de qualidade, com a humildade de cumprir uma aposta.

José Mourinho

Está ultrapassado e ainda não se apercebeu disso. O futebol pobre não convence nem obtém resultados e junta a isso um mau perder que se vai acentuando, com os alegados confrontos no túnel no último domingo.