Vitória SC 0-2 SL Benfica: O Último Grande de Pé

Por Joana Libertador Janeiro 11, 2017, em SL Benfica

Vitória SC 0-2 SL Benfica: O Último Grande de Pé

Anterior1 de 3Próximo

sl benfica cabeçalho 1

O Vitória recebeu o Benfica no Estádio D. Afonso Henriques para a última jornada da Taça CTT. Noite de inverno em Guimarães, ainda ssim, uma boa assistência.

Num momento em que nenhuma equipa dominava o jogo, nem criava grande perigo, Zungu fez uma falta desnecessária dentro da área sobre Rafa aos dez minutos de jogo. Pizzi é chamado ao dever e falha. Demérito do 21 do Benfica, que acaba por marcar uma grande penalidade muito denunciada, permitindo a fácil defesa do guarda-redes Vimaramense.

O tipo de jogo manteve-se, mas, aos 33 minutos o Benfica chegou ao golo por intermédio de Gonçalo Guedes. Depois de uma assistência de Nélson Semedo, o camisola 20 rematou potentemente para o fundo das redes de Miguel Silva. Apenas sete minutos depois, Gonçalo Guedes bisou, desta vez assistido por Carrillo. Quem diria que o Carrillo fazia destas coisas?

O jogo foi, logo de seguida, interrompido por arremesso de cadeiras por parte dos adeptos do Vitória, devido a gestos “provocatórios” de Nélson Semedo, que acabou por ver o amarelo. Os encarnados responderam com mais um ataque perigoso assim que a partida foi retomada.

As equipas recolheram ao balneário com o Benfica a vencer por duas bolas a zero e com um penálti falhado. À saída, Flávio Meireles, diretor desportivo e ex-jogador do Vitória de Guimarães, dirigiu-se, sem qualquer postura, a Nélson Semedo, levando a que os ânimos se exaltassem ainda mais. Como já tinha dito em artigos anteriores, cada um deveria limitar-se a desempenhar a sua função e deixar-se de circo e confusão.

O jogo recomeçou com o Benfica menos pressionante e com um Vitória sem argumentos para criar perigo à baliza encarnada. Toda a segunda parte se resumiu a um jogo apático sem situações de golo. As águias limitaram-se a gerir o seu jogo e os vimaramenses não tiveram qualidade suficiente para destabilizar os homens de Rui Vitórias. Aos 80 minutos deu-se a ovação da noite: Carrillo saíu para dar lugar ao tão adorado Jonas.

Foram, ainda, uns segundos 45 minutos marcados por muitas faltas e vários cartões amarelos. O jogo foi constantemente interrompido pelas ditas faltas desnecessárias, que quebraram o pouco ritmo existente no jogo.

No final dos 90’ saltam à vista os dois golos de Gonçalo Guedes e a facilidade do Benfica em gerir o seu resultado. Assim, as águias seguem para a Final Four da Taça da Liga e procuram o primeiro título de 2017 – porque, aqui, todas as competições são levadas a sério.

Anterior1 de 3Próximo
joana-libertador
Tem a vaidade, o orgulho, a genica, a chama imensa. Para além da paixão incontrolável pelo Benfica, tem um carinho especial pelas equipas que vestem vermelho e branco. Menos na NBA. Aí sofre por aqueles que vestem branco, ou azul, ou amarelo, ou preto (depende do dia) - os GS Warriors.                                                                                                                                                 A Joana escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.
joana-libertador

Últimos Artigos por Joana Libertador (ver todos)

Comentários

Por Joana Libertador Janeiro 11, 2017, em SL Benfica

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

23/10/2017

Eduardo Nunes

Redator

Miguel Oliveira

É impossível não destacar o feito do piloto da KTM, que se estreou a vencer neste fim-de-semana em Moto 2, no GP Austrália.

Manchester United FC

O clube orientado por José Mourinho fez um jogo terrível no terreno do Huddersfield e acabou derrotado por 2-1, num jogo onde os red devils mereceram claramente a derrota.