FC Basel 1893 3-2 Sporting CP: Erros em demasia

Por António Gonçalves Julho 16, 2017, em Sporting CP

FC Basel 1893 3-2 Sporting CP: Erros em demasia

Anterior1 de 3Próximo

sporting cp cabeçalho 2

O Sporting cumpriu o terceiro jogo do estágio da Suíça com nova derrota. A equipa de Jorge Jesus jogou, naquele que parece ser o modelo alternativo, num 5-2- 3 inicial que se foi projectando num 3-4- 3 no decorrer da primeira parte. Azbe Jug na baliza, a defesa composta por Piccini, Tobias, Coates, Mathieu e Jonathan Silva; no meio-campo, Petrovic e Bruno Fernandes e na frente Bas Dost, Podence e Alan Ruiz completavam o onze inicial.

Os leões entraram bem na partida e durante os vinte primeiros minutos estiveram melhor que o Basileia. Podence foi o jogador mais inconformado, criando várias situações de perigo falhando, sucessivamente, na finalização. O golo surgiu com naturalidade e de grande penalidade a castigar falta sobre Alan Ruiz. Bas Dost não perdoou e fez o primeiro golo da partida.

Há algo neste Sporting que o acompanha desde a época passada: a pressão. O Sporting pressiona mal, o que dificulta e expõe em demasia o sector defensivo, muito, devido ao mau posicionamento de Petrovic e também de Jonathan Silva. Se a ideia, nesta táctica, é retirar profundidade ao adversário, o Basileia não teve qualquer dificuldade em conseguir sair a jogar. Desde o seu sector defensivo até ao ataque, os Suíços, conseguiram sempre anular a pressão adversária, criando espaços para Lang ganhar a linha de fundo e cruzar com perigo para a área leonina.

Jonathan Silva raramente se entendeu com as suas novas funções nesta partida Fonte: FC Basel 1893

Jonathan Silva raramente se entendeu com as suas novas funções nesta partida
Fonte: FC Basel 1893

Pior do que a pressão da equipa de Alvalade, esteve o juiz da partida. De uma falta a favor do Sporting, conseguiu descortinar um penálti para o Basileia. Falta clara de Ricky Van Wolfswinkel sobre Tobias e castigo máximo para Matías Delgado facturar e restabelecer a igualdade. Mas se o golo não surgisse de um erro do árbitro, iria, com certeza, iria surgir de um erro da defensiva leonina. Dois atacantes eram suficientes para criar situações de finalização a quatro defesas do Sporting. Piccini é o espelho desta fragilidade, sendo um jogador ainda em clara adaptação e algo limitado para a exigência do clube e mesmo do treinador Jorge Jesus. Alan Ruiz é outro jogador que se custa compreender. Bom tecnicamente e com remate fácil, porém fraco tacticamente, não só nesta partida, bem como em todas as anteriores. O argentino tem muito a melhorar se quer vingar este ano.

Ainda mais catastrófica foi a saída de Azbe Jug. A infelicidade do guarda-redes Esloveno resultou em golo, colocando o marcador em 2-1. Além da limitação vincada em conseguir jogar com os pés, o guardião, resolveu oferecer um brinde a Renato Steffen que não facilitou e fez o resultado da primeira parte do jogo.

Para a segunda metade, Jorge Jesus, continuou no mesmo esquema táctico. Entraram André Pinto, Bruno César, Mattheus Oliveira, Battaglia, Doumbia e Iuri Medeiros. Saíram Coates, Jonathan Silva, Petrovic, Bruno Fernandes, Alan Ruiz e Bas Dost. Bruno César jogou a defesa ala esquerdo criando, juntamente com Mathieu, um sector lento e permeável. Os segundos quarenta e cinco minutos não trouxeram muitas jogadas de perigo, no entanto, referimos as boas indicações de Battaglia, parece o 6 correcto para este sistema; a qualidade técnica de Mattheus Oliveira e o bom sentido posicional de André Pinto.

Matheus Pereira, Palhinha e André Geraldes entraram aos 67 minutos de jogo e foi mesmo Matheus, a passe de Iuri, que fez o 2-2. Excelente a visão de jogo do português e ainda melhor a finalização de cabeça do brasileiro. Como não há duas, sem três, André Geraldes, numa tentativa fortuita de atrasar a bola ao guarda redes, entregou o 3-2 a Kevin Bua. Mais um erro da defensiva do Sporting a gerar um golo adversário. O resultado acabou mesmo por não sofrer mais nenhuma alteração mesmo após as entradas de Pedro Silva e Gelson Dala. O Sporting teve apontamentos interessantes e alguns períodos de qualidade pecando, apenas, por erros individuais e numa pressão que tem de ser francamente melhorada.

O próximo jogo será frente ao Marselha, dia 18 de Julho, em França. Nesse jogo, a equipa escolhida, tem de estar mais próxima daquela que Jorge Jesus pretende e contará com um novo reforço: Marcos Acuña.

Anterior1 de 3Próximo
António Gonçalves
O António considera-se um analista de verdade e verde e branco com seriedade.                                                                                                                                                 O António não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.
António Gonçalves

Últimos Artigos por António Gonçalves (ver todos)

Comentários

Por António Gonçalves Julho 16, 2017, em Sporting CP

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

17/09/2017

João Neves

Redator

Pep Guardiola

O técnico espanhol está a deslumbrar na Premier League com uma equipa recheada de estrelas. Esta semana atropelou o Watford de Marco Silva por 6-0 e é um dos favoritos a levantar o titulo no final da época.

Bruno Varela

As razões são óbvias com o segundo golo sofrido, no Bessa, a deitar fora 3 pontos importantes. Precisa ainda muito de crescer para ganhar a titularidade no Benfica.