O que têm feito os leões nas seleções?

Por Diogo Janeiro Oliveira Março 27, 2016, em Sporting CP

O que têm feito os leões nas seleções?

sporting cp cabeçalho 1

Estamos num daqueles fins de semana tristes para os adeptos portugueses de futebol dado que os campeonatos pararam para jogos amigáveis da nossa seleção. E basta andar há alguns anos nisto para saber como são enfadonhos, desgarrados e deprimentes os jogos amigáveis da nossa “equipa das quinas” (salvo raras exceções, como os 4-0 à Espanha no Estádio da Luz, há uns anos atrás).

Numa fase de grandes decisões, o que interessa é não ter jogadores lesionados e, se possível, que os mesmos venham motivados e valorizados dos compromissos internacionais. Assim sendo, ao ver as partidas desta semana, encarei como principal objetivo ver as exibições dos jogadores do Sporting nesses desafios. Começo pelos jogadores de seleções estrangeiras, até porque me quero referir com mais espaço à Seleção Nacional na parte final.

Sebastián Coates, por exemplo, foi titular no empate do Uruguai frente ao Brasil. Depois de uma entrada negativa de todo o setor defensivo dos “celestes”, Coates melhorou e acabou por rubricar uma exibição positiva, com vários cortes importantes na segunda parte e impondo-se como patrão da defensiva, na ausência do habitual líder Diego Godín. O central leonino voltou, uma vez mais, a demonstrar grande poder no jogo aéreo e uma presença na área que tranquiliza os adeptos da sua equipa, neste caso, os “hinchas” uruguaios. Ainda esta semana, Coates deverá repetir a titularidade na receção ao Peru, agendada para terça feira, em Montevideu. Já Bryan Ruiz, um dos astros mais reluzentes dos “leões” nesta temporada, está ao serviço da Costa Rica, que enfrenta uma dupla jornada frente à Jamaica. Na primeira partida, os “Ticos” empataram a uma bola fora de casa, num encontro onde o jogador do Sporting foi titular e atuou durante os 90 minutos, passeando a sua classe habitual e sendo uma das vozes de comando da sua seleção. O jogo seguinte será na terça-feira, mas desta vez na Costa Rica.

Outro “leão” que tem estado em destaque é Slimani. O argelino vai defrontar a Etiópia, também na próxima terça-feira, mas os adversários já estão bem cientes do terror que os espera, depois de o avançado leonino lhes ter marcado dois golos na partida que foi disputada na sexta-feira. O dianteiro magrebino marcou um golo de pé direito e outro de pé esquerdo, demonstrando bastante frieza e capacidade técnica nos momentos de finalização, características que, felizmente, tem demonstrado também com a camisola verde e branca. Fechamos o périplo pelas seleções estrangeiras com Ryan Gauld, que atuou durante os 90 minutos e viu um cartão amarelo na derrota dos sub-21 da Escócia no terreno da França. O jovem médio escocês e a sua seleção terão novo compromisso, na próxima terça-feira, frente à Irlanda do Norte.

Aqui temos um bom jogador para a seleção e três que deviam ver o Euro na televisão Fonte: Seleções de Portugal

Aqui temos um bom jogador para a seleção e três que deviam ver o Euro na televisão
Fonte: Seleções de Portugal

Agora, as seleções nacionais. Nos sub-21, Portugal venceu o Liechtenstein por 4-0, com uma forte presença leonina neste triunfo, desde logo porque os primeiros dois golos foram apontados por centrais “verde e brancos”, Tobias Figueiredo e Ruben Semedo. Frente a uma equipa tão frágil, os defesas não tiveram uma tarde sobressaltada, num encontro onde até deu para ver Carlos Mané adaptado a lateral direito. Iuri Medeiros, emprestado pelo Sporting ao Moreirense, também se apresentou em bom plano, tendo feito inclusivamente uma assistência para golo. Ricardo Esgaio e Gelson Martins deverão ser utilizados nesta segunda-feira, quando a seleção olímpica nacional defrontar o México, em mais um jogo que será realizado nos Açores.

Finalmente, a seleção principal. William Carvalho, Adrien Silva e João Mário foram todos titulares na humilhante derrota que a equipa nacional sofreu, em casa, perante a Bulgária. Nenhum deles se apresentou num nível especialmente bom, tendo jogado num ritmo médio baixo, tal como todos os seus companheiros de equipa. João Mário talvez tenha sido o melhor dos três, mas nenhum deles conseguiu dar um “safanão” no marasmo que foi a nossa seleção. Sinceramente, como já disse, desde que não se lesionem já fico contente. Algum deles ainda poderá voltar a alinhar na terça-feira, frente à Bélgica, num jogo um pouco mais a sério, que poderá exigir mais dos atletas que alinhem no meio campo. Nesta partida, também é previsível que Fernando Santos dê a titularidade a Rui Patrício, que foi relegado para o banco no jogo com os búlgaros, em detrimento de Anthony Lopes. Quanto à Seleção Nacional em si, chega a ser penoso ver jogadores como Danny, Éder, Eliseu e até Bruno Alves com a nossa camisola. Mister, abra os olhos e convoque os melhores, tenham eles a idade que tenham, sejam eles o André Silva ou o Ricardo Carvalho.

Foto de Capa: Seleções de Portugal

diogo oliveira

Diogo Janeiro Oliveira

Apaixonado por futebol, antes dos livros da escola primária, já lia jornais desportivos. Seja nas tardes intermináveis a jogar, nas horas passadas no FIFA ou a ver jogos, o futebol está sempre presente. snooker, futsal e andebol são outras paixões. Em Portugal torce pelo Sporting, lá fora é o Barcelona que lhe enche as medidas. Também sonha ver o Farense de volta à primeira…                                                                                                                                                 O Diogo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Diogo Janeiro Oliveira Março 27, 2016, em Sporting CP

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

18/07/2017

Pedro Machado

Editor

Roger Federer

Aos 35 anos (!) tornou-se no tenista com mais títulos em Wimbledon (8) depois de impor a classe que lhe é reconhecida sobre um Marin Cilic impotente para o travar.

Defesa do SL Benfica

Ainda é cedo para se decretar desastres, mas a goleada do Young Boys (5-1) aos encarnados mostrou quão vulnerável está a sua defesa. Corredor central e lateral direita precisam de uma força extra