Vitória FC 0–1 Sporting CP: Queda de cabeça erguida

Por Joana Libertador Dezembro 15, 2016, em Sporting CP

Vitória FC 0–1 Sporting CP: Queda de cabeça erguida

Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Noite gelada no Bonfim, ainda com o estádio pouco composto. As equipas aquecem e chegam os onzes iniciais! Nota-se apenas uma alteração em cada equipa relativamente ao último jogo disputado por cada uma (para o campeonato). Do lado do Vitória FC, José Couceiro lança Trigueira para substituir o guarda-redes Bruno Varela. Já o Sporting CP aposta em Campbell em vez de Bryan Ruiz.

Começa o jogo na cidade de Setúbal. Apesar de existir uma assistência maior do que a habitual, o estádio encontra-se bastante vazio, com excepção do topo sul, onde as claques do Sporting se encontram em grande força.

Com dez minutos jogados tanto a equipa visitante como a da casa atacam com algum perigo. João Amaral cai na área, mas o árbitro Nuno Almeida nada assinala. O jogador não se queixa e o lance parece-me, do local onde me encontro, perfeitamente normal.

E que perdida de Edinho aos 14 minutos! Isolado, deixa-se antecipar e Patrício defende.

Com 18 minutos de jogo, canto perigoso para o Sporting, mas Trigueira segura a bola. A equipa do Sporting pressiona e sobe cada vez mais no campo.

Penálti para o Sporting e amarelo para Vasco Fernandes. O árbitro recebe indicações do fiscal de linha e aponta para a marca de grande penalidade. Adrien é chamado ao dever, mas falha! Vai à recarga e volta a falhar.

Os adeptos sadinos mostram a sua satisfação; no entanto, inexplicavelmente, revoltam-se com a comunicação social. Chovem insultos e ameaças da bancada abaixo do local onde nos encontramos. Trata-se de imagens e situações de que, por vezes, os restantes espectadores não têm conhecimento, mas que acho importante referir. Quão mais bonito seria o futebol se nos concentrássemos apenas no que estamos cá a fazer? Neste caso, sadinos: apoiem a equipa!

Defesa bonita, mais para a fotografia que outra coisa, de Trigueira ao minuto 25.

Os vitorianos fazem-se ouvir pela primeira vez esta noite, com meia hora jogada. E que perigoso está o Vitória! Não deixa o Sporting respirar.

42 minutos, Gelson fica no chão à entrada da área, mas o árbitro manda seguir e Nuno Santos desperdiça uma boa oportunidade com um cruzamento para fora.

Final da primeira parte, com o marcador a zeros. Partida equilibrada, até ao momento, com um jogo interessante.

Gelson teve uma noite menos energética do que o habitual Fonte: Sporting CP

Gelson teve uma noite menos enérgica do que o habitual
Fonte: Sporting CP

Começa o segundo tempo no estádio do Bonfim, com Sporting logo a criar grande perigo.

Primeiro amarelo para a formação de Alvalade aos 53 minutos. Zeegelaar é punido, e há livre para o Vitória.

E que apoio dão os adeptos leoninos à sua equipa, num momento em que Adrien bate um livre que acaba em canto!

Num contra ataque perigoso, Adrien faz falta sobre Costinha, é punido com um amarelo, e há livre muito perigoso para o Vitória junto à meia lua, com 59 minutos jogados. A bola não passa pela barreira e, na recarga, Nuno Santos atira ao lado.

Perigo criado por Bas Dost, mas, mais uma vez, Trigueira não cede.

Aos 71 minutos, ambas as equipas fazem a primeira substituição. Do lado do Sporting sai Bruno César para entrar Bryan Ruiz e do lado do Vitória sai Gauld para entrar Néné Bonilha.

Sporting chega ao golo aos 75 minutos, com o número 28, Bas Dost, a marcar. O lance nasce de uma bola não devolvida ao Vitória, mas, como o técnico dos leões, Jorge Jesus, diz: o fair play é uma treta.

78 minutos e o Sporting volta assustar o Vitória. A equipa visitante faz de tudo para marcar o segundo e respirar um pouco.

E que perigo aos 82 minutos! Um remate fortíssimo por parte dos sadinos passa muito perto da baliza de Rui Patrício.

A cinco minutos dos 90, o Vitória tenta subir no campo, mas o Sporting entrou muito mais concentrado que na primeira parte e não facilita.

Segunda mudança de Jorge Jesus: sai Campbell, entra Elias.

Mais quatro minutos de jogo para lá dos 90. Amarelo para Bryan Ruiz por anti-jogo. Momentos a seguir, Patrício no chão. Não há necessidade, Sporting…

Fim da partida. Vitória cai de cabeça erguida e Sporting segue em frente na competição com uma vitória “tirada a ferros”.

 

BnR na Conferência de Imprensa

Sporting CP:

O Bola Na Rede não foi autorizado a colocar nenhuma questão.

Vitória FC:

Pergunta – Face ao bom futebol que o Vitória praticou esta noite, pensa que merecia, pelo menos, ir a prolongamento? E penso que o Vitória sai de cabeça erguida da competição. Concorda?

Resposta – O Vitória sai de cabeça erguida, claramente. Podíamos ter ido a prolongamento? Claramente também que sim. Era um prémio para a equipa levar o jogo para a fase final de decisão. Não o conseguimos fazer e há que perceber as coisas boas que fizemos, melhorá-las e corrigir os erros que cometemos. Não foram muitos, mas houve alguns erros que cometemos que vamos ter de corrigir. Agora, acho que merecíamos ter chegado ao prolongamento. Não chegámos, e temos de encarar agora esta eliminação. O Vitória tem sempre objectivos na Taça de Portugal, e as vitórias morais não me dizem nada. Gostei da prestação da equipa. A equipa esteve bem no geral, mas há que encarar as coisas de frente, e o nosso grande objectivo é o campeonato nacional. Iremos continuar a lutar como temos lutado até aqui.

Anterior1 de 3Próximo
joana-libertador
Tem a vaidade, o orgulho, a genica, a chama imensa. Para além da paixão incontrolável pelo Benfica, tem um carinho especial pelas equipas que vestem vermelho e branco. Menos na NBA. Aí sofre por aqueles que vestem branco, ou azul, ou amarelo, ou preto... depende do dia - os GS Warriors.                                                                                                                                                 A Joana escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Comentários

Por Joana Libertador Dezembro 15, 2016, em Sporting CP

Figura e Fora-de-Jogo da Semana

22/03/2017

Joana Libertador

Redatora

AS Mónaco

Além do notável campeonato que tem vindo a realizar, a equipa de Leonardo Jardim conseguiu a reviravolta na segunda mão, no jogo da Liga dos Campeões contra o Manchester City, quando vinha de uma derrota por 5-3.

FC Porto

Com a possibilidade de passar para a liderança do campeonato, já sabendo o resultado do seu principal adversário deixou escapar o primeiro lugar ao empatar em casa com o Vitória FC.