Anterior1 de 2Próximo

O médio avançado Bruno Lamas, 24, é um dos grandes destaques da equipa do Leixões Sport Club. Contratado em janeiro de 2015, o jogador chegou em Portugal cheio de expectativas após passagens pela base do São Paulo, Santos e Cruzeiro. O jogador ainda foi campeão da Copa do Mundo sub-15 pela Seleção Brasileira.

Após quatro épocas na equipa de Matosinhos, o brasileiro se tornou o estrangeiro com mais partidas disputas e mais golos marcados com a camisola do Leixões S.C. Ao todo foram 148 jogos e 27 golos anotados. Deixando para trás alguns nomes importantes da história do clube, como o do lendário médio brasileiro Wagner que atuou na equipa na década de 60. O atleta é motivo de orgulho para os adeptos, pois ele tem o espírito leixonense e sabe da importância disso.

Afinal, torcer para o Leixões S.C. é um estilo de vida e seus adeptos sentem isso intensamente. O carinho do jogador pelo clube e pelos adeptos é evidente. Nessa entrevista exclusiva ao Bola na Rede o jogador revela como foi jogar ao lado dos craques Neymar e Ganso, como chegou ao Leixões S.C., conta sobre o seu futuro e manda um recado a todos os adeptos do Mar. Bruno Lamas vive o melhor momento de sua carreira e agora mais maduro, apesar de jovem, tem tudo para continuar evoluindo no futebol. Seu brilho é crescente e o seu futuro é promissor. Agora com vocês Bruno Lamas, o craque do Mar.

Bola na Rede: Você chegou ao Leixões Sport Club na época 2014/15 vindo do Cruzeiro. Como surgiu essa proposta de se transferir para o clube?

Bruno Lamas: A proposta surgiu através de uma pessoa que estava no clube na época. Ele entrou em contato comigo e fez uma proposta. Analisei, considerei boa e aceitei. Não foi tudo como combinamos, mas graças a Deus tudo acabou dando certo.

BnR.: O Leixões S.C. é um grande clube que possui adeptos fieis. Mesmo assim é pouco conhecido no Brasil. O que te fez aceitar a jogar pelo equipa de Matosinhos?

BL: O Leixões S.C. em Portugal é como time grande, os adeptos vão a todo lado, são apaixonados pelo clube e isso é muito bom. No Brasil não se sabe muito sobre o Campeonato Português, mas como tenho passaporte europeu pensei em me destacar já dentro da Europa. Esse foi um dos motivos para aceitar vim para o clube.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários