Cabeçalho Liga Espanhola

Está aí a grande transferência do mercado de inverno. O longo namoro sempre se concretizou e Philippe Coutinho e o Barcelona iniciaram a desejada relação. 120 milhões já foram pagos e 40, por objetivos, ainda podem chegar a Liverpool.

Dizer que é o jogador mais caro do Barcelona e do campeonato espanhol são, entre outras, estatísticas que não vão nortear este artigo, pois pretende-se que o mesmo seja um exercício objetivo, um raciocínio coerente sobre como Coutinho se pode encaixar no 11 de Ernesto Valverde.

Partindo da base 4x3x3 muito móvel que se aproxima ao mesmo tempo de um 4x4x2 em losango, já reconhecemos há anos este sistema com alta mobilidade na forma de jogar blaugrana.

Neymar saiu no verão, encerrando (com Messi e Suárez) a era MSN. A pergunta feita na apresentação a Coutinho era inevitável: “Achas que pode substituir Neymar?” “Não, somos jogadores diferentes”. Óbvio. Todavia, depois de MSN, está iminente a era MSC?

Terminada há alguns meses a era do MSN, estará iminente a do MSC?  Fonte: Goal.com
Terminada há alguns meses a era do MSN, estará iminente a do MSC?
Fonte: Goal.com

O brasileiro natural do Rio de Janeiro é mais versátil do que Neymar. Como salientou já Ernesto Valverde, joga bem por dentro (a 8 ou a 10) e também por fora (quer na extrema esquerda ou direita).

Deste ponto de vista, e voltando a citar a mobilidade do Barça, creio que Coutinho encaixará como uma luva. É verdade que a concorrência é muita. Se a 6 o lugar está reservado a Busquets e na frente há dois postos cativos para Messi e Suárez, sobram outras quatro posições do meio-campo para a frente. E Coutinho pode fazê-las todas com a mesma eficiência.

Sem poder jogar a Champions, o treinador espanhol também pode usar o elemento rotatividade como trunfo, dadas as luxuosas opções que tem ao dispor. Nessa lógica, e olhando a esta meia época, Coutinho será uma aposta constante para as competições domésticas…ainda para mais com o conforto pontual que o Barça tem nesta altura no campeonato.

Voltando à concorrência: Iniesta, Rakitic, Paulinho, Dembele e Deulofeu serão os mais fortes concorrentes ao brasileiro, mas, e não querendo tornar-me repetitivo, Coutinho vai vingar pela versatilidade. E não será um novo Neymar até porque nem sempre será trio com Messi e Suárez na frente. Muitas vezes será motor de ataque a meio-campo. Talvez tenha sido esse o grande motivo para tanto namoro! Tem tudo para funcionar! O jogador certo no habitat certo.

Foto de capa: FC Barcelona

Comentários