Cabeçalho Liga Inglesa

A recente troca de palavras entre Mourinho e Conte, ao longo de várias conferências de imprensa, mostrou uma faceta do treinador português que não se via há alguns anos: a mestria nos jogos psicológicos. Nas últimas temporadas, Mourinho tem sido um treinador mais discreto, ponderado, longe do perfil agressivo que caracterizava os seus primeiros tempos como técnico. Quando chegou à Premier League, por exemplo, o português usava qualquer comunicação com a imprensa como forma de atingir o adversário. Fosse com acusações, críticas, ou apenas comentários depreciativos, o ex- Chelsea era exímio a perturbar os opositores com as suas palavras, e isso verificou-se no sucesso instantâneo que teve em Inglaterra.

Embora tenham passado, nos últimos anos, vários treinadores polémicos pela Premier League, que até conseguiram ter uma boa relação com a imprensa, a verdade é que Mourinho nunca foi bem aceite pela comunicação social em Inglaterra. Quase sempre retratado como um vilão, o português foi sempre uma figura à parte dos restantes técnicos, e os seus êxitos raramente foram aplaudidos pela crítica.

O atual treinador do Manchester United, no entanto, continua a conseguir interagir com os jornalistas como ninguém no mundo do futebol. É por isso que o recente ataque a Conte é, de certa forma, uma lufada de ar fresco.

Do conflito entre o treinador português e o italiano já quase tudo foi dito. No entanto, dois factos muito importantes parecem ter sido ignorados: o primeiro é que Mourinho tem razão no que disse. Não foi agressivo, nem mal-intencionado. Apenas usou o facto da imprensa de Inglaterra tentar arranjar polémicas entre treinadores para desestabilizar um adversário, o Chelsea, que se começava a aproximar do Manchester United. O segundo é o quanto as palavras do treinador português afetaram Conte e a sua equipa, que, frente ao Leicester, no passado fim-de-semana, somaram o quarto empate consecutivo.

A estratégia de Mourinho resultou, e o mais insólito da situação é o quão fácil foi incomodar o treinador italiano.

 

Conte ficou desestabilizado pelos jogos psicológicos de Mourinho e o Chelsea começou a perder pontos Fonte: Chelsea FC
Conte ficou desestabilizado pelos jogos psicológicos de Mourinho e o Chelsea começou a perder pontos
Fonte: Chelsea FC

O Manchester United está ainda a 12 pontos do primeiro lugar, mas a recente derrota do Manchester City, e a sequência de maus resultados do Chelsea, deixam o clube de Old Trafford numa posição mais confortável: isolado no segundo lugar, e com mais possibilidades de ganhar o título caso haja mais deslizes da equipa de Guardiola.

Mourinho tem tido grande preponderância no desempenho recente do United.

As críticas sucessivas à equipa e a Mourinho, sobretudo devido ao futebol defensivo e pragmático que apresentam, em contraste com o futebol mais atacante do rival City, não deitaram o Manchester United abaixo. Em vez disso, o treinador português usou todas as acusações da imprensa para unir os jogadores, e não hesitou em concentrar as atenções em si e nas suas palavras, deixando que os jornalistas criassem, por si próprios, uma guerra onde ela não existia.

Talvez seja um exagero dizer que o campeonato está relançado, mas há que atribuir mérito aos Reds da cidade de Manchester. A forma como não têm desistido dum campeonato que parecia resolvido é de elogiar. E, agora, Mourinho está na posição que lhe é mais confortável: com imprensa, críticos e comentadores contra ele, mas com um grupo de jogadores que está ao seu lado, e, aparentemente, motivado para continuar a lutar na Premier League.

Mesmo que o seu futebol não agrade, e que, nos últimos anos, tenham surgido treinadores com mais apreço por um futebol ofensivo, não há dúvida que Mourinho continua a ser o melhor do mundo na gestão dum plantel, e na sua motivação para a conquista de objetivos coletivos. Numa equipa como o Manchester United, que ainda vive na sombra da era Ferguson, é muito importante ter um líder que, mais do que se preocupar com bom futebol, consiga que o clube volte a ter uma mentalidade vencedora.

Combativo, determinado, e com tendência para ganhar os jogos mais importantes, o Manchester United tem cada vez mais o cunho pessoal do seu treinador. Mesmo que o futebol não se torne mais exuberante, a continuar assim, o United está no caminho certo para voltar a ganhar campeonatos com regularidade.

Foto de capa: Manchester United FC

Comentários