Com a derrota do passado fim-de-semana, frente à Roma, o Nápoles deu um passo atrás na corrida ao título da Serie A. Com um ponto de vantagem em relação à Juventus, mas também com um jogo a mais, os napolitanos arriscam-se, neste momento, a perder o primeiro lugar do campeonato.

Embora possa parecer exagerado dar o Nápoles como vencido na Serie A, a verdade é que a equipa do Sul de Itália tem uma missão muito complicada pela frente. Se até agora estavam obrigados a vencer todos os jogos, para manter a distância para a Juve, neste momento os Partenopei confrontam-se, também, com a possibilidade de ter que vencer a Juventus em Turim, se quiserem ser campeões.

A regularidade dos Bianconeri no campeonato, com várias vitórias consecutivas, torna difícil que percam mais pontos que o Nápoles, até os dois clubes se defrontarem a 22 de Abril. Por isso, só mantendo-se constante, e ganhando todos os jogos até ao final do campeonato, é que o conjunto de Sarri pode ser o vencedor da Serie A.

O futebol ofensivo da equipa, apesar de exuberante e de proporcionar um grande nível de entretenimento para os espetadores, não é tão organizado e fiável como o da Juve, sendo muito dependente da inspiração dos seus jogadores da frente. Quando as coisas saem bem, o Nápoles é, provavelmente, a equipa com o melhor futebol da Europa. Mas, nos jogos mais difíceis, é notório que, para além de não ter uma forma alternativa de jogar, não tem a experiência e a mentalidade vencedora do rival de Turim.

Antes do jogo decisivo com a Juventus, o Nápoles ainda tem dois encontros importantes, com o Inter e o Milan. A equipa de Spaletti, que caiu vários lugares na tabela após uma série de maus resultados, quer, pelo menos, chegar aos lugares que dão acesso à Liga dos Campeões. Já o Milan, tem recuperado e tido bons resultados ultimamente, sob o comando de Gattuso, e é um adversário perigoso. Ambos os jogos disputam-se no San Siro, o que os torna em desafios ainda mais complicados para os napolitanos.

O Nápoles é conhecido pelo seu futebol ofensivo de grande qualidade
Fonte: SSC Nápoles

Embora o Nápoles tenha um calendário mais fácil que a Juve no que resta do campeonato, e já não esteja nas competições europeias, é o conjunto de Turim que parte como grande favorito para a conquista dum notável heptacampeonato. É neste aspeto que é preciso dar algum mérito ao conjunto de Allegri. Com um plantel talvez menos forte que nos últimos anos, e com muitos titulares já veteranos, como Buffon, ou Chiellini, a Juventus continua a ser dominadora na Serie A, e motivada para ganhar, quando há muito que a maioria dos seus jogadores venceram tudo o que havia para vencer a nível interno.

Tendo conquistado os seis últimos campeonatos, e sendo a equipa mais titulada de Itália, a Juventus não tem tido o reconhecimento merecido. O seu futebol pragmático, que assenta numa grande solidez defensiva, e na espera por erros do adversário para criar situações de golo, não é entusiasmante para os críticos, e, por outro lado, a maioria dos espetadores de futebol vê no Nápoles, um clube do Sul, menos poderoso, e também mais próximo dos seus adeptos, um vencedor mais justo da Serie A.

Mas, se conquistarem este título, os Bianconeri serão os campeões indicados: têm sido a equipa mais regular, aquela que, mesmo sem deslumbrar, consegue ultrapassar adversários complicados, e garantir os três pontos em situações que, a maioria das vezes, as outras equipas italianas acabam por falhar.

O Nápoles, apesar de ser o clube que qualquer adepto de futebol quer que conquiste o Scudetto, é um pouco inconstante, com um modelo de jogo nada próprio para quem quer vencer uma competição de longa duração, como um campeonato.

A qualidade individual das suas principais referências, como Hamsik, Insigne, ou Mertens, e o espetáculo futebolístico que a equipa apresenta, sobretudo em casa, são pontos fortes a favor dos Partenopei. Mas parece faltar algo a este conjunto, que, por melhor que jogue, não consegue afastar a ideia de ser algo inferior à Juve.

Talvez seja esse o fator que explica o grande entusiasmo à volta deste clube: com melhor futebol, mas com menos organização e método, o Nápoles é um coletivo de artistas disposto a arriscar tudo quando entra em campo, em nome duma demonstração de qualidade.

Resta à equipa de Sarri vencer todos os encontros até visitar Turim em Abril. Aí, caso o Nápoles consiga sair com os três pontos, e se mantenha em primeiro até ao final, podemos estar perante um dos maiores feitos de sempre dum clube no seu campeonato.

Foto de Capa: SSC Nápoles

Artigo revisto por: Beatriz Silva

Comentários