Este artigo que agora começo a redigir tinha como objetivo falar das mais recentes chegadas das estrelas Claudio Marchisio e John Terry ao campeonato russo, mas como o anterior internacional inglês rejeitou entretanto o FK Spartak de Moscovo, abordarei o caso do italiano, a transferência mais sonante até agora do futebol do país dos czares.

O médio transalpino, de 32 anos, estava livre depois de deixar a Juventus, clube onde se formou e jogou ao longo de 12 anos como sénior – entre 2006 e 2018, incluindo um período de empréstimo ao Empoli em 2008 – e em Portugal correu tinta na imprensa este verão sobre o interesse dos crónicos três candidatos ao título no internacional italiano.

A escolha recaiu no FK Zenit, clube com forte pujança financeira e fome de títulos, desde logo domésticos. É que o emblema de São Petersburgo não ganha o campeonato desde 2014/15, na altura orientado pelo português André Villas-Boas. Desde aí o título mudou de mãos três meses, mas nunca saiu de Moscovo, com CSKA Moskovo, Spartak e FC Lokomotiv Moscovo a levantarem o troféu, respetivamente. A última conquista do Zenit foi a supertaça russa em 2016…

O presente, podemos dizê-lo, é positivo. No banco esta temporada senta-se Sergei Semak, ele que terminou a carreira no clube em 2013 e passou a adjunto até 2016. Nas duas últimas épocas orientou o FK Ufa e agora, aos 42 anos, decidiu voltar ao Zenit, mas com mais responsabilidades.

Em 2008, o Zenit ergueu a Taça UEFA e Supertaça Europeia. Protagonismo que procura agora recuperar
Foto de Capa: FK Zenit

A equipa de Luís Neto é por agora a líder da liga russa ao cabo de seis jornadas, cinco vitórias e um empate. Na Europa, está na fase de grupos da Liga Europa depois de uma recuperação ‘milagrosa’ na 3.ª pré-eliminatória frente ao FK Dinamo Minsk – de 0-4 para 8-1 – e de uma eliminatória apertada com os noruegueses do Molde FK – vitória por 3-1 e derrota por 2-1, no playoff. Desse ponto de vista, cumpriu os requisitos mínimos e salvou-se do enorme revés de uma eliminação precoce.

Na Rússia, há quem defenda que Claudio Marchisio, o novo número 10, é o substituto de Axel Witsel. Domingo, frente ao FK Orenburg, para a sétima jornada do campeonato, o italiano poderá dar os primeiros toques de classe ao meio-campo petersburguês.

Foto de Capa: FK Zenit

Comentários