Terminada mais uma época desportiva ao nível dos clubes, todo o universo do futebol se centra agora no Mundial da Rússia.

Portugal, inserido no grupo B, estreia-se no segundo dia de competição, frente à Espanha. No entanto, a preparação da Seleção Nacional já há muito teve início. Um mês antes do pontapé de saída na Rússia, Fernando Santos anunciou uma das decisões mais importantes: os 23 convocados para a fase final.

Face a um leque de opções alargado, o Engenheiro optou pela variedade. No grupo que vai seguir viagem para a Rússia, todos os jogadores apresentam caraterísticas diferentes, tendo utilidades repartidas pelos diversos contextos.

Assim, até à estreia da Seleção Nacional, o Bola na Rede vai definir, numa palavra, aquele que pode ser o principal contributo de cada jogador para a equipa das Quinas.

 

João Moutinho: Equilíbrio.

 

Um jogador, acima de tudo, muito completo. Um médio na verdadeira essência da palavra, João Moutinho destaca-se pela forma como consegue dar o seu contributo em todos os aspetos do jogo, quer no plano ofensivo, quer no plano defensivo.

Com uma inteligência notável e, sobretudo, com uma grande capacidade de organização, o jogador do Mónaco consegue ser uma verdadeira extensão do treinador em campo, ditando os ritmos de jogo e orientando os colegas.

Com a qualidade de passe essencial num médio, a que alia também um bom remate e eficácia nas ações defensivas, desde os desarmes ao posicionamento, João Moutinho pode ser o apoio que Portugal precisa nos dois lados do campo. Sempre ao ritmo que o jogo pede, o médio garante a solidez defensiva indispensável para Fernando Santos, mas também alguma qualidade na construção.

Depois de, em 2016, ter chegado a França num momento de forma menos positivo, acabando por ser relegado para o banco de suplentes, João Moutinho estará na Rússia em pleno e a sua luta com Adrien será mais uma boa dor de cabeça para Fernando Santos.

Foto de Capa: FPF

Comentários