Anterior1 de 2Próximo

O WSBK chegou às “férias”. Mas vamos olhar ao que se passou até agora e ao que se pode passar a partir daqui. Uma coisa não mudou, a Kawasaki, nas mãos do atual campeão, Jonathan Rea, continua a ser extremamente dominante, mas outras marcas já conseguiram fazer frente à moto japonesa limão-verde.

A Kawasaki Racing Team tem dominado o WSBK nos últimos anos
Fonte: Kawasaki Racing Team WorldSBK

O campeonato começou no mundo dos cangurus. Marco Melandri venceu as duas corridas do fim-de-semana australiano e começou bem a temporada de WSBK. 

Na Tailândia as coisas foram um bocadinho diferentes. Melandri nem conseguiu subir ao pódio, mas agora estava na perseguição ao campeão, Jonathan Rea que ganhou a primeira corrida. A segunda corrida viu a terceira vitória da Ducati, e a primeira do britânico Chaz Davies, que tem sido o grande opositor de Rea ao longo destes três anos. A partir daqui Jonathan Rea começou a dominar novamente o campeonato. A única corrida que o britânico não conseguiu vitória foi, curiosamente, a ronda britânica do WSBK, disputada no circuito de Donington Park Circuit. Ai, quem venceu foi o holandês Michael Van der Mark, na Yama YZF R1 da Pata Yamaha, equipa oficial da marca dos diapasões japoneses. 

Portanto, este ano já tivemos três marcas diferentes a vencer no WSBK, a Kawasaki, Yamaha e Ducati. Já houve também 6 pilotos diferentes, sendo que todos destas três marcas venceram.

Michael Van der Mark foi o piloto que mais me surpreendeu este ano. O ponto alto até agora são as duas vitórias na pista de Donington Park, na Inglaterra
Fonte: PATA Yamaha WSBK

Mas antes das “férias” correu-se em Itália, na Riviera Di Rimini, no Circuito Mundial De Misano “Marco Simoncelli”. 

Anterior1 de 2Próximo

Comentários