Anterior1 de 2Próximo

Os recentes incidentes que envolveram Conor McGregor abalaram, mas não destruíram, o passado evento do UFC. Depois do ataque ao autocarro perpetrado por Conor e o seu grupo, Dana White teve de fazer uma ginástica incrível para manter o evento de pé, não defraudando os anunciantes e os adeptos que pagaram para ver a nata da MMA. Este incidente provocou lesões em alguns atletas e obrigou ao cancelamento de três combates do cartaz.

À procura de um Wally para Khabib

A lesão de Tony Fergunson (que, diga-se, não foi provocada por Conor) a uma semana do evento gerou desconfiança e apreensão. Afinal de contas, tratava-se de um combate por um título, em que o campeão interino não teria forma de participar. Ao contrário do que seria de esperar, a organização do UFC decidiu manter o combate. A questão era: Quem poderá substituir Tony a uma semana do evento?

Max Holloway, campeão da divisão Featherweight, decidiu voluntariar-se para enfrentar o russo. Dana White reconheceu, como é lógico, o potencial do combate e decidiu aceitar a proposta de Holloway. Infelizmente, a comissão técnica impediu a realização do combate por considerar, após sucessivos testes, que o corte de peso do havaiano não o tinha deixado nas melhores condições físicas para se apresentar no octógono. Resultado? A um dia do evento, Holloway é afastado do cartaz.

Holloway e Khabib na conferência de imprensa
Fonte: MMA Fighting

Sem Tony e sem Holloway, quem poderia aceitar combater Khabib com um dia de antecedência? Afinal de contas, Khabib passou por um intenso campo de treino. Portanto, sair do sofá e lutar com um atleta que apresenta um record de 26 vitórias e 0 derrotas, não seria algo concretizável. Nesse sentido, a decisão acabou por ser selecionar um atleta que estava perfilado para combater no evento. O escolhido foi Al Iaquinta, o número 11 da divisão Lightweight que não pisava o octógono há quase um ano. O combate entre Iaquinta e Paul Felder foi, por isso, cancelado, numa decisão que não agradou a Felder, dado que as suas intensas semanas de treino acabaram por ser em vão. Ainda assim, Felner não censurou Iaquinta por ter aproveitado a oportunidade.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários