Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho modalidades

A jogar em casa, o Turquel, que durante a semana sofreu uma mudança no comando técnico com a saída de Jorge Godinho e a entrada de Nelson Lourenço, recebeu os italianos do Braganze, atuais terceiros classificados da Lega Hockey, tendo acabo por perder ao cair do pano por 5-4. O que deixa ainda mais complicada a deslocação a Itália.

O jogo teve um começo agitado e bastaram apenas dois minutos para o marcador mexer. Através de uma jogada lateral, Daniel Matias assistiu André Moreira para o 1-0. Os italianos reagiram e logo a seguir, Federico Ambrosio ficou perto de marcar. No entanto, o empate não demorou e com um desvio em cima de Marco Barros, Ambrosio fez o 1-1.

Nenhuma das equipas sentiu os golos e sempre que dispunham de posse de bola procuraram criar perigo junto à baliza adversária. Tuga, nome pelo qual Marco Barros é conhecido no mundo do hóquei em patins, mas também Bruno Sgaria, jovem guarda-redes italiano, aproveitaram para mostrar um pouco da qualidade que lhes é reconhecida.

A primeira parte estava bastante equilibrada e com onze minutos para se jogar, altura em que o Turquel até estava um pouco por cima, Daniel Matias viu cartão azul por protestos, com o encontro parado, deixando o Breganze em vantagem numérica.

Mesmo em underplay, o Turquel conseguiu gerir bem a posse de bola, tendo inclusivamente tido uma grande oportunidade de golo por intermédio de Vasco Luís, e o resultado não se alterou.

Após a superioridade numérica, o Turquel passou a estar por cima, com muito tempo de posse de bola, mas sem conseguir provocar grandes sustos a Sgaria. Nos instantes finais do primeiro tempo os italianos tentaram responder ao momento da equipa da casa mas, também, não tiveram capacidade para intrometer Tuga.

Concluídos os vinte e cinco minutos iniciais, Turquel e Breganze empatavam a 1-1. Resultado adequado pelo que se viu em pista. Numa partida equilibrada, os italianos foram a primeira equipa a estar na mó de cima, mas a reta final do conjunto português deixou boas indicações para o que poderia vir a ocorrer no período seguinte.

Fonte: Hóquei Clube de Turquel
Fonte: Hóquei Clube de Turquel

A segunda parte começou a um grande ritmo e com o esférico junto das redes, mas sem ocorrer nenhuma modificação no score.

Após uns primeiros minutos equiparados, o conjunto turquelense retomou o controlo da partida, com André Pimenta e Daniel Matias a agitar o rinque, mas os desequilíbrios continuavam sem dar frutos. Quem ia marcando era o Breganze que, numa situação de contra-ataque, viu Tuga a negar o golo a Franco Platero. Todavia, a superioridade materializou-se e aos trinta e quatro minutos, Vasco Luís, solto ao primeiro poste, desviou uma bola de Luís Silva e voltou a colocar a equipa da “aldeia do hóquei” na frente.

O Turquel estava claramente melhor e pouco depois, novamente por Vasco Luís, a equipa da casa ficou perto de marcar, mas a picadinha saiu ao lado. Quase de seguida, numa transição defesa-ataque, Franco Platero ficou isolado e não falhou, restabelecendo a igualdade. Também praticamente a seguir, André Moreira encheu-se de força e enviou um “míssil” ao poste da baliza de Sgaria. A partida continuou animada e Ambrosio viu um cartão azul após derrubar Pedro Vaz em falta. Vasco Luís, foi o escolhido para a conversão do livre-direto e com uma grande stickada apontou o 3-2. Minutos depois, Pedro Vaz assumiu uma iniciativa individual e por pouco não resultou no quarto golo, não tivesse o esférico embatido no poste.

Já com menos de dez minutos para se jogar, Vasco Luís viu um cartão azul após uma infração sobre Mattia Cocco. Federico Ambrosio foi o jogador escolhido para a conversão do livre-direto, mas o número cinco da equipa forasteira enrolou a bola por cima da baliza portuguesa.

Mais uma vez em superioridade numérica, a segunda no encontro, o Breganze voltou a não ter arte e qualquer tipo de engenho para aproveitar a vantagem na pista. Pouco depois de ter terminado a fase de power-play surgiu a 10ª falta transalpina. Vasco Luís voltou a ser homem do livre-direto e atirou a contar para fundo das redes de Sgaria, fazendo o 4-2. Na resposta, os italianos carregaram e Cacau, brasileiro que já jogou vários anos em Portugal, reduziu para 4-3. Os comandados de Diego Mir foram à procura do empate e passados alguns segundos, Ambrosio, com uma stickada ao poste, ficou perto da igualdade.

A três minutos do final e num lance algo insólito, Vasco Luís viu o segundo cartão azul no jogo, em virtude de ter tocado com o stick, de forma involuntária, na cara de um jogador da equipa visitante. Ambrosio voltou a ser chamado à marca de livre-direto e desta feita não desperdiçou, restabelecendo o empate na partida.

Com apenas cinco segundos para se jogar e quando tudo parecia que ia terminar empatado, Daniel Matias perdeu a bola meio campo e Cacau, totalmente isolado, aproveitou a chance e fez o 5-4, garantindo o triunfo do Breganze no concelho de Alcobaça.

Resultado bastante agridoce e injusto para a equipa do Turquel que, a partida já teria uma tarefa difícil, terá um trabalho ainda muito mais complicado para alcançar a final-four da Taça CERS, ao ter que ir virar a eliminatória em Itália. Contudo, embora tenha perdido, a equipa agora orientada por Nelson Lourenço demonstrou qualidade e bons sinais para o resto da temporada. A segunda mão realiza-se no dia 10 de março.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários