Cabeçalho modalidades

Disputou-se esta semana o Masters, a segunda competição mais antiga da modalidade, apenas atrás do Campeonato do Mundo, e uma das provas mais importantes do circuito mundial, a par do UK Championship e do Mundial.

A prova, que reúne o vencedor da edição anterior com os 15 melhores classificados do ranking que estejam disponíveis para disputar o torneio, realizou-se no Alexandra Palace, em Londres, como vem sendo hábito desde 2012.

Num torneio com apenas 16 jogadores, sendo todos eles membros dos lugares cimeiros do ranking mundial, era difícil prever resultados ou vencedores, sendo expectável muitos jogos equilibrados e, acima de tudo, snooker de grande qualidade. Assim foi. Ao longo de toda a semana, disputaram-se jogos entusiasmantes e foram inúmeras as jogadas que apenas estão ao alcance dos melhores do mundo.

Logo na primeira ronda do torneio, ficou demonstrado que ninguém iria sentir facilidades ao longo deste torneio. Mark Selby, líder destacado do ranking mundial e bi-campeão do mundo, foi afastado por Mark Williams (5-6). Ding Junhui, actual quarto classificado do ranking, voltou a ser derrotado na primeira ronda do torneio, algo que vem sendo habitual esta época. Foi Ryan Day quem eliminou o chinês (4-6).

Em sentido inverso, Judd Trump e John Higgins, terceiro e quinto da hierarquia mundial, levaram de vencidos os seus adversários por 6-4. Liang Wenbo e Anthony McGill, respectivamente.

Também Shaun Murphy e Kyren Wilson levaram de vencidos os seus adversários, Ali Carter e Batty Hawkins, por 6-4, enquanto Mark Allen derrotou Luca Brecel por 6-3. Já Ronnie O’Sullivan e Marco Fu, disputaram o jogo mais desequilibrado desta primeira ronda, com o Rocket a ter uma entrada demolidora no torneio, ao derrotar Fu por 6-0.

Parecia que Ronnie ia lançado para mais um torneio em grande nível sem dar hipótese à concorrência, mas logo nos Quartos-de-final Mark Allen começou a demonstrar que merecia levar o trofeu para casa. O Rocket vinha moralizado da primeira ronda, mas Allen acabou por vencer o encontro por esclarecedores 6-1.

Também John Higgins e Kyren Wilson venceram os seus encontros por 6-1, frente a Ryan Day e Mark Williams, respectivamente. No outro jogo dos Quartos-de-Final, vitória por 6-4 para Judd Trump, frente a Shaun Murphy. Chegadas as Meias-de-Final, Mark Allen defrontava John Higgins e Judd Trump tinha pela frente Kyren Wilson.

Olhando exclusivamente para os rankings, Trump e Higgins (terceiro e quinto), partiam em vantagem nos confrontos com Allen e Wilson (oitavo e décimo quarto). No entanto, os jogos ganham-se embolsando bolas e não com base nas classificações dos rankings.

Mark Allen e Kyren Wilson fizeram pela vida, venceram os seus encontros por 6-3 e 6-5 e garantiram assim um lugar na final do torneio. Algo inédito para qualquer um destes jogadores, no que se refere ao Masters.

Kyren Wilson e Mark Allen disputaram pela primeira vez a final de um Masters Fonte: World Snooker
Kyren Wilson e Mark Allen disputaram pela primeira vez a final de um Masters
Fonte: World Snooker

A final, disputada à melhor de 19, esteve sempre muito equilibrada, com Kyren Wilson a entrar a ganhar. Primeiro por 1-0, depois por 2-1 e com possibilidade de ir para o intervalo da primeira sessão desta final a vencer por 3-1. No entanto, naquele que seria um dos primeiros momentos decisivos desta final, o inglês tremeu e falhou a rosa que estava numa posição favorável. Allen voltou à mesa e não desperdiçou a hipótese de empatar o jogo a 2.

O encontro manteve-se muito dividido, mas no último jogo da primeira sessão, Kyren, que estava a vencer por 4-3, voltou a desperdiçar a hipótese de ir para intervalo com 2 frames de vantagem, e os jogadores voltaram a ir para o descanso com tudo empatado (4-4).

A sessão da noite até começou com mais um frame para Kyren Wilson, mas o jogador de 26 anos assistiu depois a uma exibição de gala de Allen, que fez valer a sua maior experiência, virando o jogo de um 4-5 desfavorável para um 8-5 a seu favor. Wilson ainda tentou responder, reduziu para 8-7, mas Allen não deu hipótese e acabou por fechar o jogo em 10-7.

Mark Allen, levou assim o Masters para a Irlanda do Norte, 30 anos depois de Dennis Taylor ter vencido o também norte-irlandês, Alex Higgins, na final de 1987. A próxima prova de ranking do calendário 2017/18 da World Snooker é o German Masters, disputado entre 31 de Janeiro e 4 de Fevereiro, no Tempodrom, em Berlim.

Foto de Capa: World Snooker

Comentários