Olá rapazes,

Peço, tão somente, dois minutos da vossa atenção. Eu sei que, com o aproximar dos momentos decisivos, o vosso foco e concentração são de tal forma elevados que pouco ligam ao mundo exterior, com excepção às vossas famílias.

Quero começar por dizer que vocês são especiais. Vocês estão na pele em que milhões de almas gostariam de estar. É costume dizer-se que nem todos os heróis usam capas; mas vocês, rapazes, têm o privilégio de usar o Manto Sagrado e não existe melhor capa de Super-Herói do que esta. Podem vir a vestir outras camisolas e, quiçá, conquistar troféus a um nível mais elevado do que o nosso, mas nunca nenhuma outra camisola terá o significado que esta tem.

A nossa História é imensa, como perceberam nas primeiras horas em que pisaram o recinto do Estádio da Luz. Na visita ao Museu Cosme Damião, tiveram a oportunidade de ver os grandes feitos do Passado, bem como uma colecção infindável de Taças e fotografias de gloriosos momentos… Enfim, toda uma Mística que conquistámos e que merecemos, não fossemos nós o Sport Lisboa e Benfica. Mas isso vocês já sabem.

Vou deixar-me de rodeios, pois prometi ser breve. Escrevi estas palavras, que estão agora a ser lidas na pessoa do nosso Capitão Luisão, para vos pedir que façam tudo pelo Penta. Esta sucessão de conquistas tem sido tremendamente épica. Quem diria que, depois do primeiro Campeonato, viria o Bicampeonato? E, a seguir, o Tri, que já não era alcançado há 39 épocas?

E, finalmente, o tão sempre desejado Tetra? Sabem o que significou já termos atingido esta meta, rapazes? Significou História. Fizemos História! Juntos! Todos juntos! Fizemos aquilo que Espírito Santo, Rogério “Pipi”, Eusébio, Coluna, José Augusto, Simões, Humberto Coelho, Shéu, Toni, Nené, Bento, Chalana, Veloso e tantos outros nunca conseguiram. Vocês já viram os nomes que acabei de invocar? Lembram-se de há uns segundos atrás me ter referido ao Passado que está retratado no nosso Museu? Pois bem, vocês também lá estão. Vocês já fazem parte da nossa História.

A luz da nossa Luz, a guiar a “Onda Vermelha”
Fonte: SL Benfica

É isto que temos vindo a reivindicar desde o final da temporada passada. Este Penta pelo qual tanto sonhámos. Nós queremo-lo e eu sei que vocês também! Eu consigo ver nos vossos olhos, consigo ver na expressão que fazem quando festejam um golo, quando olham cumplicemente uns para os outros, cada vez que executam uma assistência para colocar a bola no fundo das redes. A vossa determinação está bem patente e nós sentimos isso na bancada. Conquistar o Penta significaria igualar um feito que um clube como o Sport Lisboa e Benfica tem de ter.

Porém, tudo isto só fará sentido se nos concentrarmos no imediato, rapazes. De nada vale falarmos na conquista sem primeiro batalharmos. Temos cinco finais para jogar e cada uma delas vai sendo mais difícil do que a anterior. É desta forma que temos de encarar o que temos pela frente, assim como unir-nos numa simbiose indestrutível. Adeptos e equipa, de todos, um – como diz o nosso lema. A “Onda Vermelha” continua a crescer e nós sabemos bem que se torna muito difícil parar-nos quando isso acontece.

Já para o próximo jogo, queremos ver a Determinação no vosso olhar, a Chama Imensa nos vossos corações e um Orgulho muito nosso com o Manto Sagrado vestido. Façam a vossa parte dentro de campo, que nós iremos fazer a nossa nas bancadas.

Lembrem-se de tudo aquilo que já ficou para trás e que merece ser recordado com orgulho. Lembrem-se das vossas famílias e dos nossos pais e avós, que esperaram uma vida inteira para ver o Benfica atingir esta sequência de conquistas, sendo que poderão já não ter muitas mais oportunidades para tal. Lembrem-se dos que já cá não estão. Vençam por Nós!

“E vós, ó rapazes, com fogo sagrado,

Honrai agora os ases

Que nos honraram o passado!”

Foto de Capa: SL Benfica

Artigo revisto por: Beatriz Silva

Comentários

Artigo anteriorCampeões em perspectiva no primeiro fim-de-semana do “campeonatão”
Próximo artigoA um passo da final
Alfacinha de gema e Benfiquista por natureza, Bruno é um obcecado por Futebol e foi através da escrita que encontrou a melhor forma de dar a conhecer essa sua paixão pelo desporto-rei. É capaz de estar desde Segunda-feira até Domingo à noite a ver todos os jogos que passam na TV. Terá sido em pequeno que toda esta loucura futebolística foi despertada pelo seu Pai e pelo seu tio que, respetivamente, o levavam ao Estádio do Restelo e ao Estádio da Luz. Bruno não suporta facciosismos e tenta sempre ser o mais crítico possível para com o seu clube.                                                                                                                                                 O Bruno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.