Já passaram oito temporadas desde a chegada de Jardel Nivaldo Vieira ao Sport Lisboa e Benfica. Depois de chegar a Portugal para representar o Grupo Desportivo Estoril-Praia e o Sport Club Olhanense, Jardel atingiu um patamar superior e deu o salto para aquela que viria a ser a casa onde mais títulos conquistaria e onde mais sorrisos esboçaria.

Jardel já ficou na História do SL Benfica ao marcar presença no pequeno núcleo de jogadores que se sagraram Tetracampeões, em 2016/2017. De Manto Sagrado ao peito, soma já quatro Campeonatos (2013/2014, 2014/2015, 2015/2016 e 2016/2017), duas Taças de Portugal (2013/2014 e 2016/2017), cinco Taças da Liga (2010/2011, 2011/2012, 2013/2014, 2014/2015 e 2015/2016) e duas Supertaças de Portugal (2014 e 2016). Tendo em conta que está na sua oitava temporada no Estádio da Luz, trata-se de um palmarés digno de respeito.

Jardel é um jogador que não dá muito nas vistas. Não causa mau ambiente, é leal e sabe jogar limpo. Apesar de ter algumas lacunas no capítulo técnico, falamos de um defesa-central muito sereno, maduro e com uma progressão enorme desde que começou a vestir o Manto Sagrado.

É, aliás, notória a evolução de Jardel desde que chegou à Luz, principalmente no capítulo da leitura defensiva e conhecimento do jogo, tendo tido o privilégio de fazer duplas com Luisão, Ezequiel Garay, Victor Lindelöf e, agora, com Rúben Dias. Confesso que, no início, era pouca a minha empatia para com ele, mas o tempo só me veio provar que se trata daquele tipo de jogadores no qual o sucesso de um clube tem de ser construido à sua volta.

Não sendo, propriamente, um central de top mundial, beneficiou em larga escala das condições que o SL Benfica lhe proporcionou e soube tirar proveito disso, tornando-se num defesa-central bastante confiável, cumpridor e que é hoje visto como um dos líderes de balneário. Foram várias as vezes que vimos Jardel ou de cabeça aberta – após cerradas disputas de bola com os adversários – ou a festejar golos de forma efusiva – vários deles até decisivos! É um exemplo para os mais novos e para os que chegam ao Clube.

O testemunho foi passado: Jardel é, hoje, a grande voz de comando dentro de campo
Fonte: SL Benfica

Neste inicio de  temporada, Jardel tem-se apresentado num excelente registo. Totalista nos oito jogos oficiais das “Águias”, o luso-brasileiro tem dado estabilidade à defesa e contribuiu em larga escala no apuramento para a Fase de Grupos da Liga dos Campeões, marcando em Thessaloniki o golo que ajudou a segurar o play-off disputado com o PAOK.

Pela forma como sente o nosso Emblema, pela sua resiliência e pelo respeito que foi conquistando ao longo do seu percurso, Jardel é hoje o vice-Capitão do SL Benfica. É ele a grande voz de comando dentro de campo, o patrão da defesa, o que agarra a equipa quando as coisas não estão a correr pelo melhor. Tal como um grande Capitão deve fazer, Jardel está sempre lá nos momentos decisivos; seja a marcar um golo, seja a fazer um corte providencial. Se antes era o Guerreiro da Luz, hoje é o Capitão Jardel.

 

 

 Foto de Capa: SL Benfica

Comentários

Artigo anteriorOs 9 melhores jogadores Sub-23
Próximo artigoUD Leiria 3-0 Sertanense FC: Eficácia máxima dita vitória leiriense
Alfacinha de gema e Benfiquista por natureza, Bruno é um obcecado por Futebol e foi através da escrita que encontrou a melhor forma de dar a conhecer essa sua paixão pelo desporto-rei. É capaz de estar desde Segunda-feira até Domingo à noite a ver todos os jogos que passam na TV. Terá sido em pequeno que toda esta loucura futebolística foi despertada pelo seu Pai e pelo seu tio que, respetivamente, o levavam ao Estádio do Restelo e ao Estádio da Luz. Bruno não suporta facciosismos e tenta sempre ser o mais crítico possível para com o seu clube.                                                                                                                                                 O Bruno não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.