Anterior1 de 4Próximo

FC Porto e GD Chaves empataram a uma bola esta noite, em jogo a contar para o grupo C da Taça da Liga. Hernâni marcou para os dragões e Eustáquio assinou o empate já para lá do minuto 80.

Depois da paragem para os compromissos de seleções, o FC Porto e o GD Chaves deram o pontapé de saída para a fase de grupos da Taça da Liga. A competição, que tem vindo a escapar aos azuis e brancos desde que surgiu, motivou alterações nos escolhidos de Sérgio Conceição. Muitos dos habituais titulares estiveram fora a representar o seu país e acabaram por não treinar e a habitual rodagem já se fazia prever, não fosse terça-feira dia de Champions.

Na baliza, Casillas deu lugar a Vaná, num onze onde se destacou o regresso à titularidade de Danilo. De resto, alinharam ainda de início Diogo Leite, Corona, João Pedro e Adrian López. Também Daniel Ramos promoveu alterações na sua equipa, com cinco caras novas no onze: António Filipe, Nuno Coelho, Luís Martins, Jefferson e Niltinho.

Com a casa bem composta mas longe da lotação esgotada, foi o FC Porto o primeiro a dar sinais de perigo. Logo aos dois minutos Marega serviu Felipe já dentro da área, o brasileiro tocou de calcanhar mas o GD Chaves conseguiu o alívio. Os flavienses tentaram reagir e, ao contrário da primeira jornada do campeonato, fizeram o primeiro remate aos sete minutos. O pontapé de fora da área acabou por não incomodar Vaná, que agarrou sem dificuldade.

Felipe voltou a ficar perto do golo à passagem do minuto 11. Após livre de Alex Telles à entrada da área, no lado direito do ataque, o central subiu mais do que os adversários mas o cabeceamento saiu à figura de António Filipe, que segurou o nulo. Com o domínio do jogo mas perante um GD Chaves bem posicionado a defender, o FC Porto não criou muito incómodo ao guarda-redes adversário. Do outro lado, também a formação de Daniel Ramos não ameaçou verdadeiramente as redes de Vaná.

Apesar da partida ainda se encontrar no primeiro tempo, a impaciência da equipa e dos adeptos começou a ser cada vez mais visível (e audível), com os jogadores a tentarem apressar as reposições de bola do GD Chaves e os adeptos a assobiarem as sucessivas quedas do adversário.

O FC Porto desbloqueou o marcador já para lá dos 70 minutos
Fonte: Bola na Rede

No regresso para a segunda parte, a grande novidade esteve mesmo fora das quatro linhas. No banco dos dragões, faltou Sérgio Conceição. O treinador foi expulso no final da primeira parte, já para lá do túnel, uma vez que no recinto ninguém se apercebeu do momento. A ausência apenas foi notada no reatar da partida, com o adjunto a assumir as instruções para dentro das quatro linhas.

Aos 53 minutos, na sua estreia a titular esta época, Danilo encheu o pé e tentou abrir o marcador. O internacional português rematou de pé esquerdo, de fora da área, com a bola a passar pouco ao lado do poste. O GD Chaves também tentou, por Perdigão, mas o remate saiu igualmente ao lado.

Já com Brahimi em campo, os azuis e brancos voltaram a estar perto do golo. Ao minuto 60, e após canto de Alex Telles, Adrian López cabeceou para fora, num remate que ainda sofreu o desvio de Marcão. Da bancada, continuavam os assobios para com os jogadores flavienses e as constantes paragens impostas no jogo.

Aos 74 minutos, o golo. Depois de várias ameaças, o FC Porto conseguiu desbloquear o marcador. Primeiro Marega surgiu na cara de António Filipe mas permitiu a defesa, depois, na insistência, Brahimi tentou cruzar na esquerda mas viu a bola ficar presa no adversário. Recém-entrado na partida, Hernâni apareceu para recuperar a posse e rematar para o 1-0.

Pouco menos de dez minutos depois, o GD Chaves voltou a devolver a igualdade à partida. Eustáquio apareceu ao segundo poste, depois do desvio de Diogo Luís, e assinou o um igual. O FC Porto reagiu a instalou-se no ataque, mas a defesa flaviense foi evitando males maiores. Aboubakar ainda fez o 2-1, mas o golo acabou invalidado por mão na bola.

Depois da goleada cedida para o campeonato, o GD Chaves apresentou-se com uma postura diferente no Dragão e acabou por arrecadar um ponto. As sucessivas paragens impostas e quebra de ritmo motivaram vários protestos azuis e brancos, mas o FC Porto acabou por não conseguir ser eficaz e converter as oportunidades que criou.

Onze inicial FC Porto: Vaná, Alex Telles, Diogo Leite, Felipe, João Pedro, Danilo, Herrera, Otávio (Aboubakar, 84’), Corona (Brahimi, 60’), Marega e Adrian López (Hernâni, 72’)

Onze inicial GD Chaves: António Filipe, Brigues (André Luís, 79’), Nuno André Coelho, Marcão, Luís Martins, Eustáquio, Jefferson, Bruno Gallo, Nilinho (Avto, 71’), Perdigão e William (Filipe Melo, 85’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários