Anterior1 de 4Próximo

O FC Porto venceu o GD Chaves por cinco bolas a zero. Com casa cheia no Dragão para a estreia na liga, os azuis e brancos impuseram uma derrota pesada à formação flaviense e garantiram os primeiros três pontos da época. Aboubakar bisou e Brahimi, Corona e Marius fecharam o resultado com contornos de goleada.

Com a missão de defender o título conquistado na época passada, o FC Porto entrou forte e de olhos postos na baliza adversária. Do outro lado, um GD Chaves que conseguiu um surpreendente sexto lugar na passada temporada e que, agora sob o comando de Daniel Ramos, procurava uma estreia positiva na visita ao Dragão.

Do lado esquerdo do ataque azul e branco, Brahimi apareceu disposto a criar desequilíbrio. Na frente, os primeiros minutos mostraram um Aboubakar de pontaria pouco afinada. Logo aos quatro minutos o argelino serviu o ponta de lança, que adiantou demasiado a bola na recepção e permitiu a intervenção de Ricardo. Aos sete, foi a vez de Sérgio Oliveira servir o camaronês que, de cabeça, atirou por cima.

Ainda assim, ainda antes do quarto de hora, Aboubakar encontrou o caminho para o fundo das redes do GD Chaves. Ghazaryan demorou a completar o alívio, viu-se desarmado por Sérgio Oliveira, que aproveitou para fazer o cruzamento e servir Aboubakar. À terceira, o ponta de lança não vacilou e abriu o marcador no Dragão.

Cinco minutos depois, o 2-0, com nova jogada a envolver Sérgio Oliveira. O médio passou a rasgar para Otávio e o brasileiro aproveitou para servir Aboubakar, que bisou e ampliou a vantagem na partida. Pela esquerda, continuava Brahimi decidido a chegar perto da baliza adversária. Aos 22 minutos atirou ao lado e, aos 26, depois de um passe irrepreensível de Sérgio Oliveira, atirou quase sem ângulo, mas a rasar o poste.

A persistência do argelino foi premiada já em cima do intervalo, ao assinar o três a zero. Desta vez inverteram-se os papeis no ataque portista e foi Aboubakar que serviu Brahimi golo. Do lado do GD Chaves, a primeira parte passou sem qualquer lance de perigo e Casillas apenas foi chamado a intervir no jogo pelos seus colegas. O FC Porto ainda baixou o ritmo após o dois a zero, mas os flavienses não conseguiram lançar-se no ataque e incomodar o guardião azul e branco.

Nas bancadas era bem visível a alusão ao “regresso” do campeão
Fonte: Bola na Rede

Com 46.509 na bancada, o ambiente era de festa e de entusiasmo com o regresso do campeão nacional aos relvados. Depois de uma primeira parte de grande volume ofensivo, o FC Porto voltou para o segundo tempo com novo lance de perigo. Marcão evitou o quarto golo com um corte providencial em cima da linha de baliza e, já em esforço, Aboubakar acabou por cabecear por cima.

Sem nunca perder o domínio do jogo mas a diminuir a intensidade ofensiva, os dragões não permitiram que o GD Chaves incomodasse e, em cima do minuto 70, voltaram mesmo à carga. Aos 68, dois minutos depois de ter entrado, Corona atirou à malha lateral da baliza de Ricardo e, aos 69, foi Brahimi a rematar forte, com a bola a passar a rasar o poste. Em cima dos 70’, Corona fez mesmo o gosto ao pé, com um remate forte à entrada da área, e estabeleceu o 4-0.

Reduzido a dez elementos aos 80 minutos, com a expulsão de João Teixeira, o conjunto flaviense ainda sofreu o quinto golo. Marius aproveitou a sobra de um pontapé acrobático de Sérgio Oliveira e teve uma estreia de sonho de Dragão ao peito.

Os dragões disseram “presente” nesta primeira jornada do campeonato e impuseram a primeira goleada desta época. Sempre de olhos postos na baliza, o conjunto às ordens de Sérgio Conceição voltou a mostrar veia goleadora e entusiasmou os milhares presentes na bancada. Da parte do GD Chaves, mais trabalho terá de ser feito para alcançar os resultados da edição passada da liga.

Onze inicial FC Porto: Casillas, Maxi, Felipe, Diogo Leite, Alex Telles, Herrera, Sérgio Oliveira, Otávio (Adrián López, 73’), Brahimi, André Pereira (Corona, 66’) e Aboubakar (Marius, 80’)

Onze inicial GD Chaves: Ricardo, Filipe Melo, Avto, Eustáquio, Ghazaryan (Niltinho, 66’), William (Platiny, 78’), Luís Martins, Maras, Marcão, Bruno Gallo (João Teixeira, 74’), Brigues

Anterior1 de 4Próximo

Comentários