fc porto cabeçalho

Depois do que foi a época azul e branca, depois de todas as conquistas, batalhas ultrapassadas e vitória final, já todos tínhamos a certeza de que o melhor treinador do ano era o nosso. Ainda assim, a distinção oficial sabe sempre bem! Sérgio Conceição foi o melhor treinador da passada temporada.

É usual ouvirmos dizer, na gíria popular, que não se fazem omeletes sem ovos. Aplicando a mesma lógica aquilo que é o futebol, todos disseram que Sérgio Conceição não tinha à sua disposição os ingredientes necessários para construir uma equipa vencedora. A sua missão era provar que todos estavam errados, e conseguiu.

Depois de ter demonstrado o “sangue azul” quando vestiu de dragão ao peito, o treinador chegou disposto a devolver a mística ao dragão. Para além da sua função e daquilo que seriam as suas obrigações profissionais, o Sérgio sempre foi mais… mais dedicação, mais emoção, mais sentir e mais acreditar! Acreditar que o grupo que tinha podia chegar onde todos esperavam e poucos acreditavam. Jogo após jogo, quando as coisas corriam bem ou menos bem, lá estava ele, a transmitir esperança.

Sérgio renovou o vínculo com o FC Porto
Fonte: FC Porto

Conseguiu colocar em prática uma ideia de jogo que fez de Marega um dos jogadores mais influentes da equipa. Percebeu a fragilidade na lesão de Soares, logo no primeiro jogo, e soube adaptar o plantel aos recursos que tinha e que, no caso, não eram mais do que o avançado maliano. Perdeu Danilo quando todos o davam como intocável e fez crescer Herrera e Sérgio Oliveira num meio campo que se tornou imperial. Lançou José Sá, deixou Casillas no banco, desfez essa opção quando achou que o devia fazer. Tomou decisões que, enquanto adeptos, pouco entendemos, mas soube dar a volta e dar-nos, a todos, o campeonato.

Para além do que foram as opções dentro do campo, Sérgio Conceição marcou a época pelo que fez e disse para lá dos 90 minutos. Protagonizou conferências de imprensa das quais todo o país falou durante dias. Foi genuíno, falou com o coração, disse coisas que provavelmente podia não ter dito, foi assertivo quando tinha que ser. Defendeu a equipa para lá do que era o jogo, deu o corpo às balas e manteve-se sempre fiel a si próprio.

Quando todos previam que o dragão não tivesse sido mais do que uma passagem de um ano, Sérgio Conceição renovou o seu vínculo ao clube e vai manter-se, pelo menos, mais um ano. Não podemos prever o que aí vem, apenas esperar (já menos de um mês), para ver o que está a ser preparado. No entanto, podemos ter a certeza de que, aconteça o que acontecer, o banco não podia estar melhor entregue!

Foto de Capa: FC Porto

Artigo revisto por: Jorge Neves

Comentários