Equipa que ganha não mexe! Uma das velhas máximas do desporto, também aplicada ao futebol, poucas vezes se concretiza quando se fala na mudança de época. Uma temporada bem conseguida desperta interesses e nem todos os jogadores influentes chegam depois a transitar. Na versão 2018/2019 do FC Porto, as novidades no onze inicial são, para já duas, mas mais podem estar por vir.

Marcano e Ricardo Pereira foram, na prática, os dois titulares indiscutíveis a rumar a outras paragens. Com Diogo Dalot a deixar também o dragão, Maxi Pereira voltou a agarrar a titularidade no onze e foi o escolhido nos primeiros dois jogos oficiais da equipa. Para fazer dupla com Felipe no centro da defesa, Diogo Leite. Com apenas 19 anos, o central fez formação no FC Porto e serviu, no ano passado, os bês do clube. Estreou-se em jogos oficiais, pela equipa principal, no jogo da Supertaça, frente ao Clube Desportivo das Aves, e foi novamente escolha para Sérgio Conceição no arranque do campeonato, frente ao GD Chaves.

Desde Fernando Couto, em 1988, que o FC Porto não estreava um central tão novo, mas a verdade é que já poucos colocam em causa o seu talento e capacidade para ocupar o lugar. A responsabilidade de substituir Marcano ao lado de Felipe é grande, tendo os dois sido imperiais e contribuído para que os azuis e brancos tivessem a defesa menos batida da liga. No jogo frente aos flavienses, Diogo Leite deu mostras de ter o que é necessário para fazer esquecer o espanhol, tendo-se destacado no jogo aéreo e vencido sete lances pelo ar. Seguro no seu papel, Diogo Leite acabou por não ter uma noite muito ocupada na sua estreia no Dragão, frente a um GD Chaves sem caudal ofensivo e sem capacidade de criar lances dignos de perturbar Casillas.

Diogo Leite faz, a par com Felipe, a dupla de centrais azul e branca
Fonte: FC Porto

Já na frente, e apesar dos principais protagonistas da temporada passada continuarem no plantel, uma nova cara tem marcado presença no onze: André Pereira. O período conturbado que se vive com Marega tem mantido o maliano afastado das opções de Sérgio Conceição e, para atuar com Aboubakar na Supertaça, o treinador optou por lançar André Pereira. A lesão de Soares, que entrou no decorrer dessa partida, veio limitar ainda mais as opções para Conceição, que voltou a apostar no jovem avançado português no arranque da liga. E a verdade é que, a André Pereira, só faltou marcar. Se na época passada a lesão de Tiquinho Soares valeu uma oportunidade a Marega, este ano pode ser a vez de André Pereira conseguir afirmar-se no clube, depois de na época passada ter estado emprestado aos sadinos.

Contudo, até fecho do mercado, mais mexidas podem trazer alterações para o dragão. Alex Telles e Brahimi continuam a despertar interesses no estrangeiro e o FC Porto pode não ter argumentos para os conseguir manter na invicta. Os dois voltaram a estar num grande nível este ano, no primeiro jogo do campeonato. Destaque também para Herrera e Sérgio Oliveira na partida com os flavienses, a darem mostras de continuidade ao trabalho conjunto que desenvolveram no ano passado.

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários