Anterior1 de 3Próximo

Boavista e Desportivo de Chaves empatam a 3 golos num jogo bastante equilibrado entre as equipas. Já o ano passado, ambas não tinham passado além do empate a duas bolas. Neste momento, os dois clubes ocupam as posições de 7º e 8 lugar com o mesmo número de pontos na tabela classificativa.

Os jogadores dos dois emblemas tiveram direito a uma boa casa com um número simpático de espectadores. As equipas entraram em campo com o mesmo número de pontos (37 p.) e ambas vinham de uma série de jogos sem vencer (seis no caso do Desportivo de Chaves e três no caso do Boavista). Foi um duelo entre duas equipas com um meio-campo muito técnico e com jogadores que tendencialmente gostam muito de atacar.

Foi um início de jogo equilibrado com um ligeiro ascendente da equipa visitante que foi tomando controlo do jogo com mais posse de bola. Logo aos 11 minutos, o Desportivo de Chaves materializa esta superioridade com um golo de Davidson que descai para o corredor central e remata para dentro da baliza de Vagner. Faltou cobertura no remate por parte dos defesas da equipa da casa.

A reação dos axadrezados ao golo foi positiva. O Boavista realiza três contra-ataques perigosos, sendo que um deles foi aos 22 minutos. O lance foi protagonizado por uma corrida desenfreada de Rochinha desde o meio-campo. O jogador remata com força mas a bola vai parar ao poste. António Felipe não tem a mesma felicidade, aos 25 minutos, quando faz a defesa ao remate de Carraça mas a bola acaba por entrar à mesma na baliza. Está, então, feito o empate: marca a equipa da casa.

No resto da primeira parte, o Boavista mostra-se superior e impõe o seu jogo, muito graças a um dos seus médios criativos, Fábio Espinho. Acaba mesmo por dar a volta ao marcador, no final da primeira parte, aos 42 minutos. Arranque de Rochinha pelo lado esquerdo que assiste para o golo de Renato Santos.

Começa a segunda parte e entram as mesmas equipas dentro de campo. O Desportivo de Chaves entra pressionante, conseguindo chegar mais vezes à área do seu adversário. Apesar de não ter tido oportunidades flagrantes. Já o Boavista baixa o seu bloco e começam a surgir algumas falhas nas marcações. A equipa de Jorge Simão começa a resguardar-se e aposta apenas em contra-ataques rápidos com jogadores que acabam de entrar (Tahar e Rui Pedro). E é isso mesmo que acontece: aos 77 minutos, Renato Santos bisa e dilata a vantagem no marcador para o Boavista.

A resposta da equipa minhota não podia ter sido a melhor. A bola entra a pingar para a entrada da área. No seguimento do lance, existe um corte da defesa axadrezada e, de seguida, remate de primeira de Stephen Eustáquio abana as redes da baliza do Boavista. A equipa visitante diminui assim a desvantagem para 3-2.

A partir daí, o Desportivo de Chaves abdica de um dos seus médios e aposta tudo para chegar ao empate num 4-4-2. A equipa de Luís Castro chega mesmo ao empate dois minutos antes do tempo regulamentar. O golo tem origem de uma grande jogada, iniciando-se nos pés de William. Vágner defende o primeiro remate de Bressan, mas não consegue repetir a proeza quando Platiny vem de trás e encosta.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários