porta

Com um onze titular muito semelhante ao que defrontou no passado Sábado o Vilafranquense no jogo da Taça de Portugal, Jorge Jesus deixou – exceptuando Rui Patrício – os habituais titulares no banco e na bancada para este jogo frente aos albaneses do Skënderbeu; demonstrando mais uma vez que esta competição europeia não é uma das prioridades leoninas para esta temporada.

Para além de elementos na equipa inicial, JJ mudou também o seu sistema habitual, optando por deixar Montero sozinho na frente e optando por um meio campo composto por Aquilani, Bruno Paulista e um regressado André Martins.

A equipa da casa entrou “mandona” em campo,dominando o jogo no meio campo adversário e com profundidade nas alas, fruto da irreverência de Carlos Mané e Matheus Pereira. Ainda assim, o Sporting expunha-se muito defensivamente e os albaneses aproveitavam estes poucos momentos para por em alerta a defensiva leonina. A primeira (dupla) oportunidade surgiu através de um passe a rasgar de Matheus Pereira, mas tanto Montero como André Martins viram sempre um defensor adversário negar o golo em cima da linha de baliza.

A expulsão do avançado albanês Salihi – outrora uma promessa de Football Manager – veio ainda facilitar mais a tarefa aos verde e brancos, mas até à passagem da primeira meia hora o Sporting apresentava os sintomas recorrentes do passado, começando os jogos com energia mas deixando-se adormecer e tornar o jogo aborrecido.

Mas a pouca habilidade dos albaneses foi mais forte do que a apatia leonina, e os leões beneficiaram de dois penaltis cometidos de forma infantil pelos defesas do Skënderbeu para ganhar uma diferença de dois golos com que se chegou ao intervalo.

Dos primeiros quarenta e cinco minutos do encontro, a conclusão que se retirava era que o resultado era bastante melhor do que a exibição realizada. Para além de alguma apatia e lentidão de processos, faltava também companhia a Fredy Montero, por vezes isolado numa ilha sem a companhia de André Martins, que muitas vezes descaía para alas para jogar em triangulações com Matheus e Mané.

A segunda parte trouxe um Sporting à semelhança dos primeiros minutos da primeira parte, com muita iniciativa de jogo e desta vez com uma novidade, muito mais vontade de testar o guardião Shehi; criando algumas oportunidades para dilatar ainda mais o marcador frente a uma equipa bastante limitada.

Matheus Pereira voltou a estar em grande Fonte: Facebook do Sporting
Matheus Pereira voltou a estar em grande
Fonte: Facebook do Sporting

O treinador leonino não quis que equipa leonina adormecesse de novo e decidiu mexer na equipa e na táctica, optando por tirar André Martins e dar mais corpo ao ataque com a entrada de Islam Slimani, passando os leões a jogar na sua táctica habitual. A estratégia teve efeitos imediatos, com dois golos em cinco minutos, ambos de cabeça e ambos apontados por jogadores da formação: Matheus Pereira e Tobias Figueiredo.

O grande momento da partida surgiu aos 74′, cruzamento de Gelson a partir do lado direito e Matheus Pereira, de forma acrobática a fuzilar o guardião da equipa visitante. Foi o segundo jogo consecutivo a bisar para o jovem brasileiro, mostrando que chegou à equipa principal disposto a ficar e tornando-se assim em mais uma aposta de Jorge Jesus neste Sporting.

O jogo chegou ao fim de forma calma mas nao sem o golo de honra albanesa. O central Jashanica acabou por cabecear sem oposição e sem hipóteses de defesa para Rui Patrício.

Uma vitória sem grande dificuldade por parte do Sporting e uma goleada que demonstra mais a fragilidade desta equipa do Skënderbeu do que uma grande exibição leonina. Foi uma boa segunda parte a realizada pelos leões, e a entrada de Slimani contribuiu para uma maior capacidade ofensiva, mas muito desta goleada é um castigo para uma defesa tão infantil e um ataque tão inexpressivo.

A Figura

Montero – O “avioncito” dos leões fez uma exibição ilustrativa da sua qualidade e que fez esquecer o jogo menos conseguido de sábado na Amoreira. Golos, assistências e uma enorme entrega ao jogo deram uma cor diferente ao jogo leonino. Fica aqui também a menção honrosa para o grande jogo realizado por Matheus Pereira.

O Fora de Jogo

FC Skënderbeu – Uma equipa muito fraca, sem rotação para um Sporting a meio gás, o que demonstra a parca qualidade desta formação albanesa. Duas grandes penalidades cometidas por erros básicos foram apenas o início do descalabro e da goleada do Sporting.

Comentários