Caro Gianluigi Buffon,

Antes de mais, quero dizer OBRIGADO! Obrigado por todas as defesas espetaculares a que nos habituou desde sempre, obrigado pela excelente capacidade de liderança, obrigado pela longa lealdade demonstrada para com o Juventus durante estes anos todos (17, para ser mais preciso), e, sobretudo, obrigado pelo excelente exemplo para todos os amantes do Futebol.

Confesso que o dia 19 de maio foi um pouco triste para mim, e, certamente, para todos os adeptos do Desporto Rei: frente ao Hellas Verona, disputou o seu último encontro com o símbolo da Vecchia Signora ao peito – após 6112 dias ao serviço da equipa de Turim, decidiu colocar um ponto final nesta longa ligação.

Numa altura em que já não restam quase nenhuns craques do passado a atuar ao mais alto nível (como Ronaldinho, Figo, Henry, Beckham, entre outros), e foram esses os que me fizeram ter gosto em vibrar com este desposto e sonhar em um dia poder também ter a sorte de jogar nos grandes palcos como Mundial e/ou Liga dos Campeões, o senhor Gigi é um dos excelentes atletas que ainda pertence a essa fantástica geração, mas que, infelizmente, ou está a chegar à altura de ter de pendurar as botas, ou já abandonaram os relvados.

Buffon despediu-se da Juventus, com a conquista do heptacampeonato
Fonte: Juventus FC

Foram imensos troféus conquistados pela Juventus – 19 no total, a contar já com o título desta época que agora termina (o heptacampeonato). Passou por um dos momentos mais complicados da história desta equipa, com a descida à Serie B, mas mesmo assim não virou as costas ao clube e à cidade, ajudou-o a subir rapidamente à principal divisão do campeonato italiano, e foi justamente recompensado pela massa adepta, através do enorme respeito que passaram a ter por si.

Se for correto falar-se em justiça, creio que não será errado dizer que a vida pregou-lhe duas partidas, aquando das disputas das finais da Liga dos Campeões: tanto em 2003 como em 2017, não foi feliz nos jogos cruciais e acabou por não conseguir erguer a “Orelhuda” – talvez essa seja a sua maior mágoa num belo percurso futebolístico, que foi moldando à medida dos anos.

Sempre demonstrou um enorme gosto pelo que fazia, dentro e fora do retângulo de jogo, e ao saber que, no próximo ano, já não irá estar entre postes e disposto a fazer de tudo para que a Juventus termine uma partida sem qualquer golo sofrido, sou da opinião de que o Futebol fica um mais pobre e perde um pouco da sua magia e beleza.

Não sei se irá continuar na próxima época, mas uma coisa é certa: o estatuto de Lenda do mundo do Futebol isso ninguém lhe poderá tirar!

Grazie mille Numero Uno

Gianluigi Buffon

Comentários