O SC Braga tem tido um crescimento notável a nível da formação nos últimos anos. Com a conquista do título nacional de juniores em 2013/2014, começaram a aparecer jogadores oriundos da academia arsenalista como Gil Dias. Mais recentemente, apareceram nomes como os de Pedro Neto, Bruno Jordão e Xadas. Mas aquele que promete ser o caso mais sério é o de Francisco Trincão.

Natural de Viana do Castelo, seria no clube da sua cidade natal que daria os primeiros passos no futebol, tendo pelo meio uma passagem pelo FC Porto ainda na categoria de futebol de sete. Seria em 2011, aos 11 anos de idade, que Francisco Trincão rumaria à cidade dos arcebispos para se formar como jogador.

Com o passar dos anos, foi-se evidenciando nas camadas jovens do SC Braga, mas foi enquanto júnior que começou a ganhar mais visibilidade, ao ponto de no seu último ano de júnior ter sido um dos jogadores mais influentes da equipa B arsenalista, com cinco golos marcados em 30 jogos. Na selecção de sub-19, as ausências de João Félix e de Rafael Leão abriram-lhe uma vaga na equipa que iria disputar o Europeu na Finlândia, onde sobressaiu ao ponto de partilhar a artilharia da competição com o compatriota João Filipe.

Francisco Trincão marcou cinco golos no Europeu de sub-19
Fonte: Selecções de Portugal

Francisco Trincão é um extremo bastante habilidoso no controlo de bola, sendo capaz de causar muitos desequilíbrios. É um jogador que gosta de aparecer em zonas de finalização e finaliza com qualidade. Tem também uma grande qualidade de passe, sabendo distribuir jogo e desmarcar os colegas em profundidade. Fruto do seu 1,84m, também consegue ser uma arma importante nos lances de bola parada.

Quanto ao futuro, vou ser franco e claro: o campeonato de sub-23 não é competição para ele. Só continuando a jogar em escalões profissionais perante adversários de maior tarimba é que conseguirá aprimorar os seus atributos e afirmar-se como o extremo explosivo em que promete se tornar. Precisará de competição para evoluir e tornar-se mais do que um wonderkid do Football Manager.

Foto de Capa: UEFA

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários